Jovens chineses só podem jogar aos finais de semana e feriados, entre 20h e 21h, e precisam estar no banco de dados do governo

O governo da China implementou uma nova lei que limita ainda mais o acesso de jovens menores de 18 anos a videogames no país. A partir de agora, crianças e adolescentes só podem jogar por até três horas semanais. Esse horário para a jogatina, porém, só pode ser aproveitado em três sessões de até uma hora, das 20h às 21h, apenas aos finais de semana — sexta-feira, sábado e domingo — e feriados.

Knives Out, da NetEase, é um jogo parecido com Free Fire e PUBG muito popular na China (Imagem: Reprodução/Twitter @leighwynne33)

Além de proibir completamente o uso de videogames entre segunda-feira e quinta-feira, a China ainda está obrigando as distribuidoras de jogos a incluírem verificações de identidade nos games e bloquearem o acesso de pessoas que não têm seus perfis de jogador registrados no banco de dados do governo.

Os idealizadores dessa nova lei alegam que as medidas visam proteger a saúde mental e física de menores de idade, diminuindo supostos casos de vício em games no país. Desde o começo do toque de recolher em 2019, essa já é a terceira limitação no tempo de jogo de jovens chineses — que também devem obedecer a restrições de gastos com dinheiro real.

No início, o acesso era limitado a 90 minutos em dias úteis e três horas nos finais de semana e feriados. Depois, a China diminuiu o tempo de jogo para apenas uma hora nos dias de semana e duas horas aos sábados, domingos e feriados.

Além disso, os menores de 18 anos eram proibidos de jogar somente entre 22h e 8h. Para conseguir entrar nos games nesse horário, os adultos tinham que confirmar suas identidades por meio de reconhecimento facial.

Escritório da Tencent

China pode ser o único país que controla horas de jogo

A nova legislação chinesa vai de encontro às decisões de outros países asiáticos em relação a videogames. A Coreia do Sul, por exemplo, que bloqueia o acesso de menores de 16 anos a games entre 0h e 6h desde 2011, revelou na semana passada ter planos de revogar essa lei. Caso isso aconteça, a China será o único país cujo governo controla horas de jogo.

Considerados “ópio espiritual” pelo governo chinês e bastante criticados pela mídia estatal, os videogames são vistos como os culpados por afastarem os jovens da vida profissional. Os reguladores ressaltam que, além de reduzir o suposto vício, as novas regras devem “direcionar a futura força de trabalho para atividades mais produtivas”.

Nova legislação chinesa não está agradando investidores

Com o maior mercado de videogames do mundo segundo o Newzoo, a China está desagradando investidores ao redor do mundo com as novas restrições de tempo de jogo. De acordo com a Bloomberg, as ações da NetEase — responsável por sucessos como OnmyojiKnives Out e Cyber Hunter — sofreram queda de 9,3% na Bolsa de Nova York quando a lei entrou em vigor.

A Tencent, maior empresa de games da China, também foi afetada. Sua maior acionista, a Prosus NV, caiu na Europa, porém não foram revelados os números exatos. Mesmo nessa situação, a empresa chinesa é a principal apoiadora da nova legislação de limite de tempo de jogo, e ainda está proibindo jovens até de jogar simuladores de namoro.

Fonte: tecnoblog.net/ via DotEsportsKotakuBloomberg

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Feliz aniversário, COBRA-NAGEL!!!

COBRA-NAGEL, seu dia chegou! E esse é o dia perfeito para fazer uma revisão do que se pass…