Uma jovem de 19 anos, integrante da equipe FBI E-sports de Call of Duty Mobile foi assassinada na tarde da última segunda-feira (22). As informações publicadas pelo portal R7 indicam que Ingrid Oliveira Bueno da Silva, conhecida pelo nick de SOL, foi assassinada a facadas por Guilherme Alves Costa no primeiro encontro entre os dois. Eles se conheciam há aproximadamente um mês através do battle royale. O cenário de esports repercutiu a tragédia.

O caso ganhou mais visibilidade com a publicação da equipe Jaguares Esports nesta terça-feira (23).

“É com imensa tristeza que o Jaguares Esports deseja força aos familiares da jogadora SOL e da equipe FBI E-Sports. Estamos todos em luto. Que você possa descansar em paz e que a justiça seja feita”, disse a Jaguares no comunicado.

Em um print, a organização também divulgou mensagens do WhatsApp que dão mais detalhes sobre o assassinato.

“A nossa jogadora SOL foi brutalmente assassinada. Queria poder ser mais delicado sobre esse assunto, mas estamos em choque. Ela desapareceu há alguns dias e foi encontrada morta por um psicopata que a esfaqueou e gravou e postou nas redes sociais”, diz o corpo de texto da mensagem.

O perfil da equipe gamerselite de Call of Duty Mobile, que Guilherme participava com o nick de FLASHLIGHT, publicou que não tem nada a ver com o ocorrido.

“Na tarde desta segunda-feira, [Guilherme] enviou um vídeo no grupo da organização no WhatsApp no qual supostamente ele acabara de matar uma mulher, filmar e compartilhar o vídeo. Ele também enviou um PDF onde deixa mensagens de ódio contra cristãos e faz um aceno ao terrorismo. Após a liderança do clã ficar ciente do ocorrido, nos organizamos e tomamos medidas necessárias: Informamos as devidas autoridades e pedimos a todos os nossos membros para não compartilhar o vídeo do suposto crime”.

A reportagem do R7 afirma que o assassinato ocorreu na casa do suspeito em Pirituba, zona norte de São Paulo. A notícia diz que Guilherme fugiu após o crime e seu irmão conseguiu convencê-lo a se entregar.

Para o portal R7, a polícia afirmou que ele confessou o homicídio e disse que planejou o crime e afirmou ter escrito um livro onde explicava seus objetivos e os motivos que o levaram a cometer o assassinato. Uma cópia do suposto livro foi anexada ao inquérito policial. O caso foi registrado como homicídio qualificado na 87° DP.

Local onde jovem foi encontrada morta

Em um vídeo divulgado pela Viva ABC, Guilherme está sendo preso pelos policiais e é questionado por um transeunte se ele “lembra o que fez”. Guilherme responde: “Lembro. Minha sanidade mental está completamente apta”. Ele também responde o porquê de ter cometido o crime: “Porque eu quis”. Uma mulher o indaga por estar rindo após ter matado uma “menina novinha”, e Guilherme diz que “sabe da gravidade da situação”.

Fonte: maisesports via noticias.r7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Magazine Luiza anuncia compra do Jovem Nerd e entra no mundo da cultura pop

O Magalu anunciou nesta quarta-feira (14) a aquisição do Jovem Nerd, uma das maiores plata…