The logo of Chinese video app TikTok is seen on the side of the company’s new office space at the C3 campus on August 11, 2020 in Culver City, in the westside of Los Angeles. (Photo by Chris DELMAS / AFP)

A TikTok coletou dados de usuários de milhões de smartphones usando uma tática proibida pelo Google e sem notificar os usuários por mais de um ano antes que a rede social chinesa encerrasse a prática no ano passado.

A TikTok rastreou os endereços MAC (controle de acesso à mídia) exclusivos de Androids, que costumam ser usados para fins publicitários, e ocultou sua atividade com uma camada extra de criptografia, de acordo com uma análise do Wall Street Journal. A coleta de dados não foi divulgada aos usuários e parece desrespeitar as políticas de privacidade do Google.

O aplicativo de compartilhamento de vídeo persistiu na coleta de identificadores exclusivos de usuário por pelo menos 15 meses antes de interromper a tática em novembro, em meio a um novo escrutínio pelos EUA sobre os problemas de segurança do aplicativo.

“A versão atual do [aplicativo] TikTok não coleta endereços MAC”, disse a empresa em um comunicado ao WSJ.

A proprietária chinesa da TikTok, ByteDance, está atualmente sob pressão de Washington para vender a TikTok e não entrar na “lista negra” das empresas estrangeiras banidas dos Estados Unidos.

A Microsoft está em negociações para adquirir as operações da plataforma de compartilhamento de vídeo nos EUA. O senador Josh Hawley exigiu na quarta-feira (12) que a Microsoft garantisse que a TikTok cortasse todos os laços com o Partido Comunista Chinês como um pré-requisito para qualquer aquisição potencial da plataforma de mídia social.

O republicano do Missouri argumentou que, se a TikTok puder preservar os laços com sua empresa-mãe ou com o governo chinês, as vulnerabilidades do aplicativo podem permitir que o Partido Comunista Chinês colete os dados dos americanos.

Na semana passada, o projeto de lei de Hawley, que proíbe a instalação do aplicativo de compartilhamento de vídeos em aparelhos do governo, foi aprovado no Senado.

O presidente Trump disse na semana passada que a TikTok tem até 15 de setembro para encontrar um comprador americano para o aplicativo e, se não conseguirem, ele afirmou que vai banir o aplicativo nos EUA.

Fonte: gazetadopovo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

YouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTok

Em fase de testes, YouTube Shorts está disponível somente para usuários de Android na Índi…