Ferramenta DXVK estaria sendo confundida pelo anti-cheat da EA como software para ganhar vantagem

Nesses últimos anos, o Linux vem ganhando cada vez mais força como um sistema operacional viável para aqueles que buscam jogar seus games. Ferramentas como WINE, Proton (Steam) e o DXKV vem auxiliando nessa caminhada, mas alguns percalços vêm ocorrendo.

Recentemente, alguns jogadores de Battlefield V que usam o Linux como sistema operacional reportaram no fórum do Lutris, software que permite instalar diversos jogos disponíveis no Windows no “sistema do pinguim”, que estão sendo banidos por conta do sistema anti-cheat do game de tiro da DICE.

Chegou ao nosso conhecimento que vários jogadores do Battlefield 5 foram banidos recentemente por jogar no Linux, e que a EA optou por não reverter essas punições injustificadas. Por esse motivo, recomendamos que você não jogue nenhum jogo multiplayer publicado pela EA no futuro.

Após o banimento, esses jogadores entraram em contato com a Electronic Arts, e receberam a seguinte mensagem da empresa:


Resposta da Electronic Arts sobre os casos de banimento dos jogadores de BFV no Linux | Créditos na imagem: Fórum Lutris

“Olá,

Obrigado por entrar em contato conosco sobre as medidas que foram tomadas em sua conta.

A ação pertence à seguinte violação:

Promover, incentivar ou participar de qualquer atividade que envolva hackers, cracking, phishing, aproveitando explorações ou truques e/ou distribuição de software falsificado e/ou moeda/itens virtuais.

Depois de investigar completamente sua conta e sua preocupação, descobrimos que sua conta foi acionada corretamente e não removerá essa sanção da sua conta.

Obrigado,

Termos de Serviço da EA”

Na acusação, é dito que a suspensão da conta tem como motivo o uso de softwares para ganhar vantagem sobre outros jogadores, os famosos cheats, mas segundo discussões dos usuários de Linux, o banimento está ligado ao DXKV, que estaria sendo identificado erroneamente pelo anti-cheat do game como algo que está modificando o jogo.

Explicando rapidamente, o DXKV é um pacote para o WINE que incluem diversas bibliotecas Direct3D que permitem a renderização 3D através do VULKAN. Com isso, diversos jogos, como é o caso de Battlefield V, podem ser executados no Linux.


Com ajuda do DXVK, Battefield V pode ser jogado no Linux, mas ferramenta está sendo confundida como cheat | Créditos na imagem: EA/Dice

Na página oficial do DXKV no GitHub, os desenvolvedores do projeto alertam seus jogadores sobre possíveis banimentos por conta das manipulações dos pacotes Direct3D.

“A manipulação de bibliotecas do Direct3D em jogos multiplayer pode ser considerada trapaça e pode banir sua conta. Isso também se aplica a jogos single-player com uma parte multiplayer integrada ou dedicada. Use por sua conta e risco.”

Aviso dos desenvolvedores do DXVK sobre os possívens banimentos em games multiplayers

Infelizmente, na resposta a EA diz que não estará “desbanindo” os jogadores, assim fazendo com que o pessoal que trabalha no projeto Lutris recomendasse que as pessoas não joguem nenhum game multiplayer da Electronic Arts por agora.

Fonte: adrenaline

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Battlefield V: Informações sobre erros e correções do update 7.0

A DICE já está trabalhando em uma solução dos problemas que vieram junto da atualização 7.…