Alphabet é a quarta empresa de tecnologia a atingir US$ 1 trilhão de valor de mercado

Nesta semana, a Alphabet entrou, pela primeira vez em sua história, para a seletíssima lista das companhias que alcançaram valor de mercado de US$ 1 trilhão. Dona do Google, a empresa é a quarta do setor de tecnologia a atingir tamanho feito.

A primeira foi a Apple, que passou a ser avaliada em US$ 1 trilhão em agosto de 2018. Um mês depois, a Amazon alcançou a mesma marca (atualmente, a companhia vale cerca de US$ 930 bilhões). Em 2019, foi a vez da Microsoft bater US$ 1 trilhão.

O Google vive uma fase um tanto turbulenta por conta de questões envolvendo privacidade e das investigações antitruste que enfrenta nos Estados Unidos. Mas esses eventos não foram suficientes para afetar o otimismo dos investidores com relação à Alphabet.

Aparentemente, a decisão de Larry Page e Sergey Brin de abandonar o comando da Alphabet no final de 2019 pesou para que o conglomerado conseguisse manter um ritmo de valorização.

Não que a dupla tenha feito uma gestão ruim, pelo contrário. Mas, de modo geral, a decisão foi bem recebida pelo mercado porque marcou a transferência de comando para Sundar Pichai, que até então ocupava o posto de CEO do Google.

Indiano e com 47 anos, Pichai começou a trabalhar no Google em 2004 e, portanto, pôde acompanhar de perto as principais transformações da empresa.

Esse histórico e a boa gestão à frente do Google fizeram o mercado reagir com bastante otimismo à escolha de Pichai para o cargo de CEO da Alphabet após as saídas de Page e Brin.

Sundar Pichai

A marca de US$ 1 trilhão de valor de mercado foi atingida no final da quinta-feira (16) quando, sob valorização de 0,87%, o preço por ação da Alphabet chegou a US$ 1.451,70.

Em fevereiro, a empresa deve divulgar o relatório financeiro referente ao seu último trimestre. Wall Street espera que o conglomerado registre receita de US$ 46,9 bilhões no período, um aumento de quase 20% na comparação ano a ano.

Vale destacar que entre os negócios que fazem parte da Alphabet estão, além do Google, a Waymo (carros autônomos), a Wing (drones) e a Verily (ciências da vida). O conglomerado surgiu em 2015 após o Google passar por uma grande reestruturação.

Fonte: tecnoblog.net/ via Markers Insider.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

WhatsApp quer permitir que empresas façam vendas direto no aplicativo mais será pago

O produto vai permitir a integração entre WhatsApp, Instagram e Facebook e o gerenciamento…