A CeramicSpeed desenvolveu um sistema de transmissão que não envolve correntes ou desviadores (Foto: Divulgação)

O sistema de transmissão da Driven usa um pistão especial para trocar as marchas e mover a bike

Imagine que você está curtindo um passeio de bicicleta. É um dia bonito e seu ritmo de exercícios está bom. Até que um incidente estraga o seu bom humor: a corrente da sua bike se soltou. Para solucionar o problema, você precisará interromper o passeio e sujar as mãos de graxa.

Essa, aliás, não é a única complicação que as correntes podem gerar. Em modelos de entrada, a velocidade e eficiência da troca de marchas podem ser comprometidas pelo componente.

Por isso, uma empresa dinamarquesa desenvolveu uma alternativa. Fundada pelo atleta Jacob Csizmadia, a CeramicSpeed desenvolveu o Driven, um sistema de transmissão que elimina a necessidade de correntes e desviadores.

Com o novo sistema da CeramicSpeed, correntes não são mais necessárias (Foto: Divulgação)

Como funciona?
Em geral, o que determina a marcha de uma bicicleta é um componente chamado “coroa”. Ele é dividido em diversas camadas. Quanto maiores elas forem, mais força o ciclista precisa fazer para pedalar e mais rápido a bike irá se mover.

A corrente, por sua vez, é a responsável por transmitir a energia do ciclista para a bicicleta. Ela deve ser encaixada nos “dentes” da coroa, que são as extremidades pontudas.

O desviador é o dispositivo que tem como função mudar a posição da corrente na coroa, fazendo-a transitar pelas diferentes camadas.

O Driven substitui esse sistema por um pistão especial. Em vez de possuir elos (que, nos sistemas tradicionais, se encaixam na coroa), o componente inclui um semi-eixo que conecta os pedais à roda traseira.

Um conjunto de 21 rolamentos de baixa fricção então se conecta às engrenages e transfere a energia gerada pelos pedais para a roda.

Segunda a empresa, o Driven causa 49% menos fricção ao pedalar (Foto: Divulgação)

Segundo a CeramicSpeed, esse novo sistema gera 49% menos fricção do que as correntes tradicionais. Dessa forma, o ciclista conseguiria atingir maiores velocidades empregando menos força.

O projeto foi inicialmente apresentado para o público em 2018 e ainda está em fase de desenvolvimento. Agora, a CeramicSpeed vêm buscando parcerias com grandes fabricantes de bicicletas para aprimorar o seu produto.

Fonte: revistapegn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Google afasta funcionário que disse que IA da empresa tem alma

Blake Lemoine, engenheiro de software do Google, foi afastado da gigante da tecnologia na …