Novo centro de distribuição na cidade de Cajamar (SP) é um dos esforços para acelerar as entregas de mercadorias compradas no site.

Após levantar fundos em uma nova oferta de ações, o Mercado Livre está pronto para investir R$ 3 bilhões na sua operação brasileira. A empresa afirma que o investimento vai principalmente para questões de logística, com foco em acelerar as entregas de mercadorias vendidas pelo site. Outro braço que recebe atenção é o Mercado Pago, fintech que pertence ao grupo.

Os investimentos da empresa no Brasil têm crescido ao longo dos últimos anos – já foram investidos R$ 2 bilhões em 2018 e mais R$ 1 bilhão um ano antes. “Além de manter nossa liderança em um mercado tão competitivo, teremos mais recursos para trabalhar no aprimoramento da experiência do nosso cliente”, afirma em comunicado o chefe de operações do Mercado Livre, Stelleo Tolda.

STELLEO TOLDA, VICE-PRESIDENTE DE OPERAÇÕES, DIANTE DA SEDE DO MERCADO LIVRE (FOTO: NACHO DOCE/REUTERS)

Uma das novidades que devem trazer agilidade às entregas é o início das operações de um centro de distribuição na cidade de Cajamar, na Grande São Paulo. O espaço tem 111 metros quadrados e é o segundo no modelo fulfillment – no qual o Mercado Livre se responsabiliza por todo o processo de armazenar, empacotar e enviar produtos comprados por usuários das lojas virtuais. A cidade, curiosamente, também é sede do primeiro centro de distribuição próprio da Amazon na América Latina.

Centro de distribuição em Cajamar tem 111 mil m²

“Este novo centro de distribuição será o coração e o pulmão de nossa operação logística no Brasil”, afirma em comunicado à imprensa Leandro Bassoi, diretor para América Latina da Mercado Envios, unidade da empresa que cuida da operação logística. “O objetivo é tornar o tempo de entrega de mercadorias três vezes mais rápido.”

Fonte: epocanegocios.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Banda larga pode aumentar de preço devido a processo da PGR

Operadoras afirmam que internet ficará mais cara se STF derrubar direito de passagem gratu…