Novo centro de distribuição na cidade de Cajamar (SP) é um dos esforços para acelerar as entregas de mercadorias compradas no site.

Após levantar fundos em uma nova oferta de ações, o Mercado Livre está pronto para investir R$ 3 bilhões na sua operação brasileira. A empresa afirma que o investimento vai principalmente para questões de logística, com foco em acelerar as entregas de mercadorias vendidas pelo site. Outro braço que recebe atenção é o Mercado Pago, fintech que pertence ao grupo.

Os investimentos da empresa no Brasil têm crescido ao longo dos últimos anos – já foram investidos R$ 2 bilhões em 2018 e mais R$ 1 bilhão um ano antes. “Além de manter nossa liderança em um mercado tão competitivo, teremos mais recursos para trabalhar no aprimoramento da experiência do nosso cliente”, afirma em comunicado o chefe de operações do Mercado Livre, Stelleo Tolda.

STELLEO TOLDA, VICE-PRESIDENTE DE OPERAÇÕES, DIANTE DA SEDE DO MERCADO LIVRE (FOTO: NACHO DOCE/REUTERS)

Uma das novidades que devem trazer agilidade às entregas é o início das operações de um centro de distribuição na cidade de Cajamar, na Grande São Paulo. O espaço tem 111 metros quadrados e é o segundo no modelo fulfillment – no qual o Mercado Livre se responsabiliza por todo o processo de armazenar, empacotar e enviar produtos comprados por usuários das lojas virtuais. A cidade, curiosamente, também é sede do primeiro centro de distribuição próprio da Amazon na América Latina.

Centro de distribuição em Cajamar tem 111 mil m²

“Este novo centro de distribuição será o coração e o pulmão de nossa operação logística no Brasil”, afirma em comunicado à imprensa Leandro Bassoi, diretor para América Latina da Mercado Envios, unidade da empresa que cuida da operação logística. “O objetivo é tornar o tempo de entrega de mercadorias três vezes mais rápido.”

Fonte: epocanegocios.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

YouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTok

Em fase de testes, YouTube Shorts está disponível somente para usuários de Android na Índi…