Netflix adverte: NÃO veja esta série sozinho (e temos 5 bons motivos para obedecê-la)

Lançamento recente no catálogo da Netflix, a produção original “Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy” veio acompanhada de um alerta da própria plataforma de streaming: NÃO assistam à série sozinhos.

Não assista a “Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy” sozinho. Confie em mim nessa

De caráter documental, a trama acompanha a trajetória de Ted Bundy, um dos maiores assassinos dos anos 70, o que foi suficiente para que muitas pessoas concordassem com o aviso.

Pensando nisso, temos 5 motivos para levar a sério e procurar uma companhia para assistir à série. E já diria a Netflix: “Acreditem em mim nessa!”.

“Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy” na Netflix

1- Mistério

Existem muitos detalhes sobre a personalidade de Ted Bundy que muita gente ainda não sabia – e são exatamente eles que foram explorados na série da Netflix, feita para o trigésimo aniversário da morte dele, que ocorreu em 24 de janeiro de 1989 na prisão.

Conhecido como serial killer, Ted Bundy confessou o assassinato de mais de 35 pessoas entre 1974 e 1978 e foi considerado um dos criminosos mais cruéis da história dos Estados Unidos por torturar as vítimas até o fim.

2- Rigor

Para retratar com rigor a trajetória de Ted Bundy, a Netflix apostou em trechos de sessões com os jornalistas investigativos Stephen Michaud e Hugh Aynesworth, nos quais mostra conversas abertas do serial killer sobre vários assassinatos.

Jornalistas investigativos Stephen Michaud e Hugh Aynesworth

E não para por aí: nos 4 episódios de “Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy” são exibidas imagens de arquivos do caso e audiências judiciais que podem ser um pouco chocantes.

3- Vítimas

“Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy” é um retrato perfeito do serial killer e por isso a revelação de atitudes sombrias e as características peculiares de seus crimes podem acabar se tornando perturbadoras.

“Uma pessoa desse tipo escolhe suas vítimas por um motivo. Posse. Controle. Violência”, adianta o teaser da série – que já é a grande prova de que para assistir a produção sozinho precisa de coragem.

4- Medo?

O intuito da nova aposta da Netflix é se aproximar do suspense, mas é inevitável sentir medo ao assistir a série, especialmente pela reflexão que ela provoca sobre a sociedade atual e as relações que escolhemos construir.

Charmoso e sedutor, Ted cativava mulheres jovens e as fazia se apaixonarem por ele, até que seu lado sombrio ficava mais forte. O serial killer manteve um relacionamento de 5 anos sem que sua namorada suspeitasse de nada, muito menos da morte de inocentes.

 

5- Angustia

Diferente de outras produções sobre serial killer, “Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy” é BEM realista e o criminoso foi definido pela Netflix como “insaciável”.

A série acaba surpreendendo ao apresentar uma infinidade de crimes com particularidades de dar arrepio e pode ser angustiante na maior parte dos casos.

Tem coragem de arriscar?

Fonte: msn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Os 5 Piores Filmes do Início de 2019

Os três primeiros meses de 2019 já ficaram para trás. Ao adentrarmos abril, o primeiro tri…