Relembre pro players que foram banidos do CS:GO por toxicidade como bloominator, k1to e J0hnny sofreram punições por comportamento no jogo

Cada game conta com um próprio sistema de regras contra comportamentos tóxicos. No ambiente casual e profissional do Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO), as punições e banimentos funcionam de acordo com a participação da comunidade do game, responsável por denunciar ações abusivas e definir o destino do jogador que quebrou as regras. O TechTudo relembra os casos mais expressivos de pro players que foram penalizados devido a toxicidade durante competições do game de tiro.

A Valve sinaliza insultos e situações abusivas como atitudes desportivas,condenando jogadores com suspensão moderada. O IEM (Intel Extreme Masters) Katowice 2019 Major (um dos torneios mais importantes da modalidade) possui um artigo no livro de regras dedicado apenas ao Código de Conduta. Assédio, ofensas com relação a deficiência, expressão de gênero, raça e religião são considerados quebra de código e podem render punição com expulsão e processos criminais.

Reece “bloominator” Bloom

Carreira de bloominator foi encerrada por conta de toxicidade — Foto: Reprodução/LunatiK Esports

O caso mais recente de banimento aconteceu em 2017, e rendeu discussão no mundo dos esports. O jogador profissional Reece “bloominator” Bloom teve prints vazados na internet que denunciavam mensagens de cunho sexual envolvendo uma adolescente de 15 anos. O norte-americano representava o clube Armor Esports e teve a conta banida por 1 mil anos por ordem da ESEA (E-Sports Entertainment Association), liga de esportes eletrônicos, alegando “atividades maliciosas”

Nils “k1to” Gruhne

Nils “k1to” Gruhne foi punido por atos racistas durante jogo — Foto: Reprodução/Liquipedia

Em 2018, o pro player brasileiro João “felps” Vasconcellos foi alvo de comentários e atitudes racistas por parte do alemão Nils “k1to” Gruhne, da equipe ALTERNATE aTTaX. Por conta de uma postagem nas redes sociais, o jogador da Não Tem Como reportou o racismo sofrido durante uma stream e teve uma resposta quase que imediata da FACEIT Pro League (PFL), que no dia seguintebaniuk1to por um mês.

Marcus “J0hnny” Gabriel

J0hnny nunca mais jogou torneios oficiais desde a punição — Foto: Reprodução/Kai Kuczera

Após o término da da ESL Meisterschaft Summer 2018, maior campeonato regional de CS:GO da Alemanha, o nativo Marcus “J0hnny” Gabriel recebeu um banimento de 10 dias. A decisão veio por parte dos organizadores do torneio por motivos de linguagem abusiva. Na ocasião, o pro player vestia a camisa da Planetkey Dynamics, uma equipe alemã presente desde 2013 no competitivo da modalide. Desde então, J0hnny não foi visto jogando profissionalmente em torneios oficiais.

Toxicidade nos esports

A toxicidade está presente em diversos meios e se intensifica em casos cybernéticos. De origem grega, a palavra deriva de algo que tem a propriedade de “envenenar”, ou seja, que podem ser ofensivas ou intimidantes para determinados grupos e pessoas. Segundo a ESL, empresa que organiza torneios de esports, as situações que são consideradas como insulto e comportamento ofensivo em competições profissionais, possuindo penalização de acordo com o incidente, são:

  • Declarações extremistas
  • Ameaça de Violência
  • Assédio sexual
  • Perseguição
  • Insultos severos
  • Ligações pornográficas

Fonte: techtudo via ESL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Homem transforma um Audi S7 em um PC de Gamer

Esse é o PC mais exclusivo e caro do mundo Algumas pessoas gostam de construir seu próprio…