Usada por 28 milhões de pessoas, plataforma é o maior repositório de código de programas do mundo.

Microsoft comprou o GitHub, plataforma usada por desenvolvedores para hospedar códigos, por US$ 7,5 bilhões, segundo anunciaram nesta segunda-feira (4) as duas empresas. Ainda que a empresa tenha informado que vai manter a operação do GitHub independente, a notícia gerou uma onda de descontentamento entre programadores, que temem poder haver mudanças que comprometam seu trabalho.

“A Microsoft é uma companhia voltada ao desenvolvedor e, ao unir forças com o GitHub, nós fortalecemos nosso comprometimento com a liberdade do desenvolvedor, abertura e inovação”, afirmou o presidente-executivo da empresa, Satya Nadella, em nota.

O GitHub é um repositório popular de projetos de códigos com mais de 10 anos e usado por 28 milhões de desenvolvedores em todo mundo. Também é o espaço em que grandes empresas, como Amazon, Apple e Google, escolhem quando querem mostrar o que estão fazendo.

“Eu estou extremamente orgulhoso do que o GitHub e nossa comunidade foram capazes de alcançar ao longo da última década”, afirmou Chris Wanstrath, CEO do GitHub, em nota.

“O futuro do desenvolvimento de software é brilhante, e eu estou empolgado para unir forças com a Microsoft e ajudar isso virar realidade.”

A Microsoft, apesar de ser uma das maiores criadores de software proprietário do mundo, é uma das maiores contribuidoras da plataforma. Muitos dos programas da companhia tiveram seus códigos abertos no GitHub, como PowerShell, Visual Studio Code e o motor de JavaScript do navegador Microsoft Edge. A guinada rumo ao código aberto começou com a chegada de Satya Nadella à presidência-executiva da Microsoft.

Software de computador com código aberto permitem que outros desenvolvedores além dos criadores possam estudá-lo, modificá-lo, contribuir com sua criação e até desenvolvê-lo para distribuí-lo de outra forma.

O GitHub só é capaz de armazenar tantos projetos porque funciona com um sistema de gerenciamento criado em 2005 por Linus Torvalds, que é fundador do Linux, o maior projeto de código aberto do mundo. A plataforma chegou a ser avaliada em US$ 2 bilhões em 2015.

Mudanças no GitHub

A Microsoft informa que não vai alterar a forma como o GitHub opera. Isso inclui a possibilidade de os desenvolvedores usarem diferentes linguagens de programação, ferramentas e sistemas operacionais que quiserem.

A companhia, no entanto, já promoveu ao menos uma mudança. Chris Wanstrath, atual CEO do GitHub, deixará o posto, que será ocupado por Nat Friedman, um dos vice-presidente da Microsoft. Ele também é um nome conhecido no mundo do código aberto. Fundou a Xamarin, uma plataforma de código aberto para criação de aplicativos móveis adquirida pela Microsoft em 2016.

Wanstrath será incorporado à equipe da Microsoft que trabalha em iniciativas estratégicas de software.

Reação

Os rumores da aquisição começaram a circular ainda na semana passada e forma o suficiente para gerar reclamações na comunidade de desenvolvedores.

Veja abaixo algumas das reações de programadores:

Fonte: g1.globo.com/economia/tecnologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

YouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTok

Em fase de testes, YouTube Shorts está disponível somente para usuários de Android na Índi…