Uma operação dirigida pelas autoridades de vários países derrubou uma página da web acusada de quatro milhões de ciberataques — entre eles, ofensivas digitais a grandes bancos, informou a Agência Nacional britânica contra o Crime (NCA). A Europol, a polícia europeia, destacou que as ações orquestradas pelo grupo visavam a serviços críticos de instituições governamentais, forças policiais e da indústria de jogos.

Segundo o comunicado, as autoridades de cinco países, incluindo as da Holanda, da Sérvia, da Croácia e do Canadá, com apoio da polícia escocesa e da Europol, a polícia europeia, tiveram como alvo seis membros da organização criminosa que estavam por trás do domínio “webstresser.org“.

Os ciberdelinquentes usavam os serviços da página, a preços mensais como US$ 14,99 (pouco mais de R$ 50), para lançar os ataques conhecidos como Distributed Denial of Service (DDos), ou “negação de serviço”, que bombardeio os alvos com fluxo de rede até saturá-los e incapacitar seus sistemas.

https://webstresser.org/
https://webstresser.org/

O pagamento da taxa mensal permitia a internautas com pouco conhecimento técnico lançar ciberataques. A polícia britânica se encarregou das provas e os agentes holandeses derrubaram a página com ajuda da Alemanha e dos Estados Unidos. Os investigadores creem que a página esteja por trás do ataque que afetou sete grandes bancos do Reino Unido em novembro. A ação criminosa fez as instituições bancárias reduzirem sua operação.

O website vendeu ataques e ajudou a lançar quatro milhões deles para ao menos 136 mil usuários registrados. Três homens apontados como administradores da página foram presos, na terça-feira, no Reino Unido, no Canadá e na Sérvia. Enquanto isso, a plataforma foi fechada e sua infraestrutura apreendida na Alemanha e nos Estados Unidos.

Os chamados “stressers” ofereciam o serviço de derrubar páginas de alvos ou davam acesso a ferramentas que chegavam ao resultado. Segundo os investigadores da operação, nomeada de “Power Off”, webstresser.org parece ser a maior das plataformas do tipo. Elaborar, fornecer ou obter redes do tipo é crime punível com sentença de prisão e multa.

Fonte: oglobo.globo.com/economia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Cerca de 150 títulos deixarão a Netflix até junho; veja quais

Filmes “Moonlight” e “Lion – Uma jornada para casa”, indicad…