PUBG Corp. revelou pela Comunidade do Steam que 15 hackers suspeitos de criar softwares para trapacear em PlayerUnknown Battlegrounds foram presos pela polícia da China no dia 25 de abril, que estão sendo multados em aproximadamente 30 milhões de yuan, equivalente a R$ 16,7 milhões na atual cotação da moeda chinesa.

“15 grandes suspeitos incluindo ‘OMG’, ‘FL’, “火狐”, “须弥” e “炎黄” foram presos por desenvolver programas, hospedaram mercados para programas de hack, e negociaram transações”, diz uma reportagem traduzida pela produtora. “No momento os suspeitos foram multados em aproximadamente 30 milhões de yuan renminbi (US$ 5,1 milhões). Outros suspeitos relacionados a este caso ainda estão sendo investigados.”

Segundo a PUBG Corp., estes programas também eram utilizados para roubar dados de usuários.

“Levamos trapaça muito a sério. Desenvolver, vender, promover ou usar programas de hack/trapaça não autorizados não é apenas injusto para outros jogadores jogando PUBG – em vários lugares, também é contra a lei.”

A empresa declarou ter também melhorado seus sistemas de segurança e detecção de trapaça para punir infratores mais rápida e efetivamente.

“Vamos continuar a acabar com programar de hack/trapaça (e seus criadores) até que nossos jogadores estejam livres para duelar em um ambiente totalmente justo.”

A BattlEye, empresa que fornece soluções antitrapaça para o PUBG, disse que, até dezembro, já haviam sido banidos mais de 1,5 milhão de jogadores por utilizarem hacks durante o jogo. O número tende a ser consideravelmente maior agora.

PlayerUnknown’s Battlegrounds está disponível para PC e Xbox One.

Fonte: theenemy

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Campeão de Fortnite é o atleta de eSports do ano; Curry dá o prêmio

Game Awards ocorreu nesta quinta-feira, na Califórnia, Estados Unidos, e premiou os princi…