Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Exeter criou um novo tipo de concreto que aguenta duas vezes mais peso e resiste quatro vezes melhor a água do que o original. O novo material foi desenvolvido usando grafeno, e tem ainda outra vantagem: sua produção é mais favorável ao meio ambiente que a do concreto tradicional, pois gera menos gases estufa.

Para produzir esse novo tipo de concreto, os cientistas suspenderam uma camada de espessura atômica na água durante o processo de formação do concretodo concreto, segundo o estudo que eles publicaram. Dessa forma, o concreto armado se tornava mais resistente. E os pesquisadores afirmam que esse método pode ser usado em situações de produção em larga escala.

“Você pode usar só metade do concreto por centímetro cúbico e ainda ter a mesma força. Ou, em áreas do mundo sujeitas a enchentes, você pode aumentar a durabilidade e vida útil de qualquer edifício”, disse Monica Craciun, professora de nanociência e uma das autoras do estudo. Em entrevista ao Digital Trends, ela afirmou que ele também pode ser usado para permitir a construção de edifícios ainda mais altos.

Concreto verde

Outra vantagem desse novo tipo de concreto é que ele é menos danoso ao meio ambiente. Segundo o Science Daily, ele permite cortar em quase 50% os outros materiais necessários para se fabricar concreto. Isso, por sua vez, impede a emissão de 446 quilos de gás carbônico por tonelada de concreto produzido.

Durante o processo de produção do concreto, os gás carbônicos são emitidos por dois motivos: primeiro, para gerar a energia necessária para a sua fabricação. E, segundo, porque o processo químico por meio do qual o concreto é gerado emite gás carbônico também. Isso é um dos fatores que contribuem para que cerca de 6% da emissão de gases estufa do mundo venha da fabricação de concreto, segundo Guardian.

Segundo Dimitar Dimov, outro autor envolvido na pesquisa, o novo material “é o primeiro passo, mas é um passo essencial na direção de criar uma indústria de construção mais sustentável para o futuro”. E como o Guardian aponta, as amostras criadas pelos pesquisadores para mostrar a eficiência de sua nova descoberta se adequam aos padrões europeus de construção civil, o que indica que o novo concreto pode começar a ser usado muito em breve.

Fonte: olhardigital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Internautas exploram falha em bot da Decolar

Bot da empresa de viagens está causando polêmica na rede social Twitter. Uma falha no sist…