A Asus anunciou nesta segunda-feira (23) seu primeiro smartphone com Android puro: ele se chama Zenfone Max Pro, é equipado com bateria gigante de 5.000 mAh, deixa de lado a ZenUI para rodar Android 8.1 sem modificações na interface e tem preço baixo para competir com a Xiaomi no mercado indiano.

A linha Zenfone Max é a mais confusa da Asus: em um intervalo de menos de dois anos, a empresa lançou o Zenfone 3 Max, depois o Zenfone 3s Max, depois o Zenfone 4 Max, depois o Zenfone Max Plus, depois o Zenfone Max e agora o Zenfone Max Pro (!). O foco continua sendo a duração de bateria, mas o novo modelo traz hardware mais potente e tela com proporção 18:9.

Por dentro, o Zenfone Max Pro tem processador octa-core Snapdragon 636, 3 ou 4 GB de RAM, 32 ou 64 GB de armazenamento interno e tela de 6 polegadas com resolução de 2160×1080 pixels. A câmera frontal é de 8 megapixels e, como de costume na Asus, há duas câmeras traseiras: uma de 13 megapixels e uma grande angular de 5 megapixels. Ele custa a partir de 10.999 rúpias indianas, o equivalente a R$ 567.

Também há uma versão com 6 GB de RAM e câmeras frontal e traseira de 16 megapixels por 14.999 rúpias indianas (R$ 773 em conversão direta). Ambos os modelos possuem carcaça de metal, leitor de impressões digitais na traseira e, de acordo com a Asus, quase todas as características do Zenfone Max Pro foram definidas com base em uma pesquisa feita com mais de 2.000 consumidores indianos.

Há alguns detalhes bacanas: a tela possui contraste de 1500:1 e brilho máximo de 450 nits; a bandeja de cartão de memória e dos chips de operadora não é híbrida; e o alto-falante promete ser mais potente. E, além de não rodar ZenUI, ele traz a versão mais recente do Android.

Asus não confirmou se o Zenfone Max Pro será lançado em outros países. Na Índia, ele começará a ser vendido em 25 de abril. Veja também: Qualcomm trabalha com Sony, Asus e LG em smartphones 5G para 2019 

Fonte: tecnoblog.net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Banco Central autoriza transferências bancárias pelo WhatsApp

Permissões possibilitam que aplicativo de mensagens seja usado para envio de recursos entr…