A gigante chinesa Tencent, que está produzindo uma versão de PlayerUnknown’s Battlegrounds exclusiva para a China, está ajudando a desenvolvedora PUBG Corp a dar um fim nos cheaters do game no país.

Segundo relata o Bloomberg, a companhia auxiliou a polícia na prisão de 120 pessoas ligadas à produção de softwares de trapaça para o game, que recentemente se tornou o título mais vendido na história do PC.

A Tencent ajudou a polícia em mais de 30 casos para diminuir o número de grupos que desenvolvem e vendem cheats para tornar o ambiente mais limpo para o lançamento de sua versão de PUBG, que seguirá as diretrizes impostas pelo governo chinês.

A empresa foi de grande auxílio porque muitos dos usuários que distribuem trapaças utilizam o chat QQ da Tencent para fazer negócios. Nos rankings de PUBG, os jogadores colocam sua identificação em seus nomes, o que ajudou na identificação.

De acordo com o Bloomberg, oito dos dez primeiros colocados no placar de líderes de PUBG nesta terça-feira possuíam um número de contato do QQ.

A publicação chegou a entrar em contato com um dos cheaters, que ofereceu um software de US$ 15 que permite esconder o jogador e fornece uma visão de cima do campo de batalha. Outro também pediu que os usuários mantenham menos de 15 kills por partidas ao usarem o software.

Com mais de 27 milhões de jogadores no PC, PUBG conta com a ferramenta BattlEye para banir cheaters, mas o número de trapaceiros no game ainda é alto. O game também possui replay e Death Cam no PC, ferramentas que podem ser usadas em denúncias. Com a Tencent dando auxílio na batalha, quem sabe o número de trapaceiros diminua nos próximos meses.

Fonte: adrenaline via: Bloomberg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Feliz aniversário S0ST1N3S

Hoje é um dia muito especial, para você e para todos nós também, pois apenas desejamos o s…