Mais um dia no escritório da Valve, mais um recorde quebrado. Apesar de nunca ter passado do número 3 em seus jogos, a empresa de Gabe Newell alcançou outro número recorde de jogadores conectados simultaneamente no Steam: 18,5 milhões.

A marca foi registrada no sábado (6) pelo site Steam Database, que reúne diversas estatísticas e informações sobre tudo o que é publicado na plataforma. Foram mais de 4 milhões de usuários a mais do que o recorde anterior, de 14 milhões de jogadores simultâneos em janeiro de 2017.

O número é impressionante, mas não significa que todo mundo estava realmente jogando ao mesmo tempo: desta quantidade, “apenas” 7 milhões de usuários estavam com um algum game aberto no momento do pico. Boa parte deste aumento recente se deve ao sucesso de Playerunknown’s Battlegrounds, que, sozinho, passou dos 3 milhões de jogadores simultâneos em dezembro do ano passado.

De acordo com o site VG24/7, esta é apenas uma fração da quantidade de perfis registrados na plataforma. Em 2015, a Valve afirmou ter 125 milhões de usuários ativos no Steam – número que, certamente, já deve ser muito maior hoje em dia. A previsão é de que a plataforma atinja os 20 milhões de usuários simultâneos em abril deste ano.

Vale notar, também, que nem todos estes perfis são de usuários únicos. Devido ao seu imenso mercado interno de produtos digitais (com itens para os jogos, cartas virtuais colecionáveis, além dos próprios games), estão cadastrados no Steam inúmeros perfis falsos, contas “smurfs” (perfis alternativos, geralmente utilizados para jogar em níveis mais baixos de jogos multiplayer), além dos incontáveis bots para trocas automatizadas de itens em sites de terceiros, que praticamente nunca se desconectam da plataforma.

Fonte: tecnoblog.net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

WhatsApp vai te espionar? Confira mudanças que valerão a partir de fevereiro

Pouca coisa muda na prática, já que aplicativos populares como Instagram ou Facebook já co…