Microsoft estaria considerando a aquisição de outras produtoras para ajudar a fortalecer sua biblioteca de jogos exclusivos first party. E uma dessas produtoras, seria ninguém menos que a EA, segundo “fontes confiáveis” do Polygon. O site cita também, com menos segurança, as possibilidades de aquisição da PUBG Corp, produtora de PUBG, e da Valve, algo muito difícil de acreditar.

Alguns dos nomes que estão sendo jogados por aí como possíveis aquisições pela Microsoft são, sinceramente, surpreendentes, até inimagináveis. Mas o fato de que eles estão circulando é instrutivo. O mais recente que ouvimos (de uma fonte confiável próxima à Microsoft) foi, na verdade, a Electronic Arts. Também ouvimos boatos sobre a Valve e sobre a coreana PUBG Corp., com quem a Microsoft assinou ano passado pela exclusividade temporária de PlayerUnknown’s Battlegrounds.

O trecho acima foi retirado de um artigo recente do site, chamado “Xbox One tem um sério problema de jogos exclusivos“. Enquanto a Microsoft tem os cofres para fazer aquisições desse calibre, é difícil de imaginar especialmente a Valve aceitando esse tipo de acordo, já que Gabe Newell, um dos fundadores e donos da empresa, nunca escondeu seus descontentamentos com a gigante do Windows e em trabalhar com consoles.

A EA, que aparece como a possível aquisição citada por uma “fonte confiável próxima da Microsoft”, já tem um histórico de parceria mais interessante com o Xbox. A produtora de jogos como Battlefield, FIFA e Mass Effect levou seu novo sistema EA Access com exclusividade primeiro para o console, por exemplo. Esse é o tipo de acordo que certamente alavancaria a linha de exclusivos para o Xbox.

A PUBG Corp., por fim, não foi citada por uma fonte confiável do Polygon e o site chama sua possível compra de “sussurros”, assim como no caso da Valve, mas essa é a produtora mais fácil de ser adquirida. A empresa é muito menor e a parceria para o lançamento de PUBG no Xbox aproximou as companhias. A diferença é que ela não traria um portfólio tão interessante de jogos, uma vez que o mais importante a Microsoft já garantiu para seu console.

Opinião dos analistas

Falámos com quatro analistas que todos concordaram que a Microsoft precisa agir logo, e que maiores aquisições são, de longe, a rota mais provável.

Piers Harding-Ro

“Microsoft reconhece isso como uma questão importante,”, disse Piers Harding-Rolls, diretor de pesquisa e análise no IHS. “Portanto, comentários do Phil Spencer de investir mais na entrega de conteúdo da primeira parte.”

“Eles têm que tomar algumas decisões estratégicas muito grandes”

“Sony vai ser agressivo nesta fase do ciclo de ferragem,” disse SuperData pesquisa CEO Joost van Dreunen. “Dá a impressão que o portfólio de exclusivos da Microsoft é muito magro. Ainda não tiveram essa agenda de conteúdo consistente, como a Sony tem e por isso é que eu acho que eles agora vêm [] muito reduzido. Alguns de seus títulos não executam muito bem.”

A Microsoft tem um pote de dinheiro de pelo menos US $ 130 bilhões, impulsionado pelos recentes cortes de impostos que favorecem fortemente a grandes corporações. Quando você considera que a capitalização de mercado de uma empresa como a Electronic Arts é ao redor $ 35 bilhões, parece uma caixa de guerra a ser útil.

“Microsoft global teve um grande ano,” disse David Cole, proprietário da DFC Intelligence. “Mas não teve nada a ver com o Xbox One. Para a equipe do Xbox, eles têm que tomar algumas decisões estratégicas bem grandes. Eles precisam explicar uma estratégia de como eles podem ser relevantes vai para a frente na indústria de jogo. “

Rumores de aquisições são um passatempo favorito perenemente na indústria do jogo. Mas com problema de exclusividades da Microsoft, casado com seu atraso PlayStation e seu pote de ouro, a fofoca tem se intensificado recentemente.

Fonte: adrenaline.uol.com.br via Polygon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Guedes assina portaria que dobra limite para compras de brasileiros em free shops

Medida que passa o teto de US$ 500 para US$ 1.000 entrará em vigor em 2020 O ministro da E…