Pouco a pouco, as empresas de tecnologia estão deixando para trás as antigas tecnologias de 32 bits. Vimos isso com a Intel, Apple, Google — e desta vez, temos a Nvidia.

A versão 390 dos drivers gráficos da Nvidia, a ser lançada em janeiro de 2018, será a última com suporte a sistemas de 32 bits, incluindo Windows (7, 8/8.1 e 10), Linux e FreeBSD.

Os drivers de 32 bits receberão atualizações de segurança até janeiro de 2019. No entanto, todos os novos recursos e melhorias de desempenho exigirão um sistema operacional de 64 bits.

Como explica o Ars Technica, há alguns motivos para permanecer em um sistema legado. Por exemplo, ao contrário da versão de 64 bits, o Windows de 32 bits pode rodar nativamente programas antigos para DOS. No entanto, há alternativas melhores — como virtualização (VMware) ou emulação (DOSbox) — para essas questões de compatibilidade.

A Intel planeja remover suporte legado a BIOS em 2020. Isso significa que futuros PCs não poderão fazer boot com sistemas operacionais de 16 bits, ou com quase todos os de 32 bits.

Por sua vez, a Apple avisa que o High Sierra é “a última versão do macOS a suportar aplicativos de 32 bits sem comprometimentos”. Ela exigirá que todo programa distribuído através da Mac App Store suporte instruções de 64 bits.

O iOS 11 já não roda mais aplicativos de 32 bits. E a partir de 2019, a Google Play Store exigirá apps para Android com suporte a 64 bits.

Fonte: tecnoblog via NvidiaArs Technica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Xiaomi Mi Box 4S é lançada com Wi-Fi mais rápido e 4K 60 fps

Xiaomi Mi Box 4S tem ficha técnica parecida com Mi Box 4 (Mi Box S); dispositivo custa o e…