A pirataria está tomando novas formas nos últimos anos. Depois de CDs e DVDs piratas e sites de torrent, chegou a vez de os dispositivos que oferecem o streaming ilegal atrapalharem a indústria cinematográfica. Como relata o Torrent Freak, Hollywood está chamando esses dispositivos, que permitem ao usuário acessar serviços como a Netflix sem pagar por isso, de “Pirataria 3.0”.

Especialistas apontam que, assim como avança a indústria, os piratas contam com a tecnologia para burlar as soluções desenvolvidas e continuar compartilhando conteúdo ilegal. A pirataria 3.0 é, hoje em dia, a principal ameaça ao setor.

“A pirataria não é um desafio estático. Os piratas são inovadores, então, mesmo quando nós inovamos, na tentativa de combater a pirataria, eles surgem com novos modelos de negócios”, explica Stan McCoy, presidente da MPA, órgão que representa os principais estúdios de cinema.

McCoy mostra que a nova pirataria tem crescido em diversos países graças à popularidade de serviços como a Netflix e o Spotify. “O resultado é um serviço que opera em uma escala massiva (…). Esse é um novo tipo de Netflix global, mas nenhum detentor de direitos é pago”, explica.

O executivo aponta como soluções a criação de medidas punitivas, legilação, regulamentação e educação do consumidor.

Fonte: olhardigital

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

PCs gamers são banidos de cinco estados dos EUA por consumir muita energia

Os PCs gamers da empresa da empresa Alienware, uma subsidiária da Dell focada em computado…