O governo boliviano oficializou uma queixa na embaixada francesa em La Paz, relativa à forma com o país é retratado em Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands, da Ubisoft, segundo noticía a Reuters.

Ghost Recon Wildlands tem lugar num futuro alternativo não muito distante, onde um cartel de droga mexicano implacável conseguiu espalhar-se através da força para a Bolívia, transformando a nação num narco-estado, e no maior produtor de cocaína do mundo.

De acordo com o Ministro do Interior da Bolívia, Carlos Romero, a Bolívia pediu oficialmente que o governo fancês intervenha. Romero acredita ainda que a Bolívia tem motivos para proceder com uma ação judicial, apesar de ter declarado, “Primeiro, preferimos tentar a via da negociação diplomática.”

Numa declaração enviada à Reuters, a Ubisoft explica que a Bolívia foi selecionada como pano de fundo para o jogo devido às suas “magníficas paisagens e cultura rica.”

“Apesar da premissa do jogo imaginar uma realidade diferente da que existe hoje na Bolívia, esperámos que o mundo in-game represente de forma próxima a belíssima topografia do país,” disse a Ubisoft, destacando que o jogo é “uma obra de ficção.”

Ghost Recon Wildlands vai chegar para PC, PS4 e Xbox One na próxima semana, a 7 de março.

Fonte: eurogamer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

China proíbe menores de 18 anos de jogar videogame por mais de 3h semanais.

Jovens chineses só podem jogar aos finais de semana e feriados, entre 20h e 21h, e precisa…