A LG mostrou hoje, na feira Mobile World Congress, em Barcelona (Espanha), o G6, seu novo smartphone top de linha. O celular abandona o design modular de seu antecessor, o G5, mas ainda mantém características diferentes de seus concorrentes iPhone 7 e Galaxy S7 Edge.

A companhia reconheceu que teve de mudar sua visão de mercado. Antes, a ideia era trazer um design inovador, e por isso foi feita a aposta em modularidade. Agora, entendeu-se que o primordial era respeitar as necessidades dos consumidores. “No ano passado, aprendi uma valiosa lição, tanto como executivo quanto como consumidor”, afirmou o presidente da área de mobilidade da LG, Juno Cho. “Atender as necessidades do consumidor é o começo e a solução para inovações significativas.”

Essa visão norteou toda a apresentação da LG. Previamente ao início do evento, a companhia deixou rolar, em repetição, um vídeo em que pessoas pelas ruas diziam o que queriam num smartphone, e uma das questões mais citadas era contraditória: queremos telas grandes, mas queremos um aparelho fácil de se manejar. A LG usou esse ponto para destacar a característica mais marcante do G6, tendo mencionado pelo menos cinco vezes que ele é a representação de uma tela grande que realmente cabe na mão.

http://www.youtube.com/watch?v=6vMLTdgRB8Y

A tela tem 5,7 polegadas com proporções 18:9, o que a faz ser um pouco mais larga do que as tradicionais telas de 16:9 dos celulares do mercado. A distribuição, porém, torna o G6 um aparelho ideal para funções multitarefas, já que essa proporção divide a área de exibição em dois quadrados. É, inclusive, um modelo de distribuição que vem sendo adotado pela indústria de entretenimento, e a LG diz que serviços como Netflix e Amazon Prime Video estão se voltando a esse formato.

A resolução dessa tela é de 2.880 por 1.440 pixels (com 564 ppi), o que faz com que ela seja levemente superior ao Quad HD de aparelhos como o Galaxy S7 Edge, da Samsung.

Três câmeras

O LG G6 terá suporte ao Dolby Vision e HDR10. (Foto: Reprodução/LG)

Outra diferença marcante está na configuração das câmeras do dispositivo. O G6 tem duas câmeras na sua parte traseira, seguindo a tendência lançada por seu antecessor (e que a Apple usou no iPhone 7 Plus). São dois sensores de 13 MP, um deles associado a uma lente normal, com abertura f/1.8 e 71º, e outro a uma lente grande angular, com f/2.4 e 125º.

A lente grande angular permite capturar mais dos arredores das fotos. Com isso, ela é um pouco mais voltada para fotos de paisagens ou multidões. A outra lente, por sua vez, é mais fechada e se assemelha a uma lente tradicional. Ela acaba sendo mais adequada para retratos e para fotografar detalhes.

Na parte da frente, o aparelho vem com uma câmera de 5 MP e uma lente de ângulo um pouco mais aberto que o normal — ela tem f/2.2 e 100º. Essa mudança na lente é para fazer com que ela capture mais do espaço em torno do usuário, e facilita na hora de tirar selfies em grupo. Por outro lado, pode acabar distorcendo o rosto do usuário, caso ele tire uma selfie de perto demais.

Desempenho

LG G6 é resistente a água e poeira

Fora isso, o aparelho possui um processador Snapdragon 821 e 4 GB de RAM, que devem garantir uma performance bastante adequada ao aparelho. A bateria do smartphone, com 3.300 mAh, também promete uma boa duração.

O G6 vem com Android 7.0 (Nougat) e opções de armazenamento com 32 GB ou 64 GB, mais a possibilidade de incluir um microSD de 2 TB. Há ainda resistência a água e poeira de nível IP68, sensor biométrico, NFC, portas USB-C e de 3,5 mm (para fones de ouvido).

Disponibilidade

A LG não disse quando começará a vender o G6, mas adiantou que ele estará disponível em três cores: preto, branco e prata. Também avisou que o aparelho terá configurações diferentes de acordo com o mercado, o que pode ser uma má notícia para os brasileiros. Vale lembrar que o G5 chegou ao país numa versão “piorada” e por um preço desproporcional.

O que se sabe até agora é que só o modelo vendido nos Estados Unidos terá tecnologia de carregamento sem fio, e que a configuração de áudio Quad DAC de 32 bits será exclusividade dos mercados asiáticos. Aliás, apenas na Ásia será vendida a versão com 64 GB, assim como a opção com entrada para dois chips.

Fonte: olhardigital

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

PCs gamers são banidos de cinco estados dos EUA por consumir muita energia

Os PCs gamers da empresa da empresa Alienware, uma subsidiária da Dell focada em computado…