Um levantamento realizado pela empresa de segurança ESET mostra que o Brasil lidera o ranking de ataques a roteadores domésticos. De acordo com a pesquisa, de setembro até agora foram registrados mais de 1800 ataques em todo o mundo, a maior parte deles em solo brasileiro.

Os ataques costumam ser disseminados por páginas e anúncios online que direcionam o usuário para sites que hospedam scripts maliciosos, que tentam controlar o roteador testando combinações de usuário e senhas vindos de fábrica. O objetivo é roubar informações da vítima e acessar remotamente o dispositivo.

“Esse tipo de ataque acontece desde 2012, no entanto, os incidentes têm crescido nos últimos tempos por conta da própria proliferação nos equipamentos conectados à internet por meio de roteadores. Muitos usuários domésticos não mudam a senha padrão que vem de fábrica nos roteadores, o que permite um fácil acesso dos cibercriminosos aos equipamentos”, explica Camillo Di Jorge, presidente da ESET Brasil.

Confira algumas dicas para se proteger:

  • A primeira medida é alterar a senha de fábrica do aparelho assim que ele for instalado. Os criminosos conseguem obter as credenciais de acesso originais com base na marca e no modelo do roteador.
  • É importante também revisar todas as configurações, principalmente as de DNS. A administração remota também deve ser desativada.
  • Verifique com o fornecedor se existem atualizações do firmware
  • Busque por vunerabilidades conhecidas para o modelo de seu roteador e saiba como evitá-las
  • Verifique com a empresa fornecedora da internet se o roteador oferecido faz parte de um pacote. Caso ele seja vulnerável, solicite a atualização do firmware ou a troca do equipamento
  • Utilize um plugin que boqueie scripts, como o “NoScript”, com ABE (Application Boundary Enforcer) ativado no navegador
  • Não compartilhe o nome da sua rede Wi-Fi. Grande parte das redes é configurada com um nome padrão que instantaneamente informa ao invasor a marca e modelo de roteador utilizado.
 Fonte: olhardigital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

YouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTok

Em fase de testes, YouTube Shorts está disponível somente para usuários de Android na Índi…