A greve que mantém bancários paralisados por todo o país há mais de dez dias tem como um de seus objetivos forçar os bancos a repensar os modelos de agências digitais, uma opção que tem ganhado força entre os clientes devido à redução — às vezes a zero — das taxas de manutenção.

A categoria reclama que, embora venha embalada numa roupagem que indica revolução, as agências digitais são basicamente centrais de atendimento com funções bancárias, o que moveu parte das operações para outro tipo de ambiente.

“A agência digital foi criada e vendida como algo revolucionário, visionário e foi entregue um telemarketing ativo e receptivo de oito horas”, diz um funcionário do Itaú ouvido de forma anônima pelo Sindicado dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região.

“O resultado é catastrófico. Os clientes ficaram sem atendimento nas agências convencionais e os funcionários perderam muito em respeito, vida, saúde e carreira. São operadores de telemarketing trabalhando oito horas com headset e ai de quem levantar para conversar, ir ao banheiro ou tomar água. São monitorados e devem ficar logados o tempo todo.”

A pauta específica de reivindicações inclui jornada de 25 horas semanais, de segunda a sexta-feira, carga de trabalho equivalente à dos funcionários de agências físicas, priorização do pessoal do banco antes da abertura das vagas para trabalhadores terceirizados, e mais cuidado com o remanejamento de pessoal entre agências físicas e digitais, além de disponibilização gratuita de equipamento de trabalho.

O sindicato chama atenção ainda para a falta de acesso ao ambiente em que estão lotados os bancários das agências digitais. “A lista de desrespeitos que os funcionários denunciam ao sindicato é extensa, por isso a pauta de reivindicações da Campanha Nacional 2016 inclui cláusulas para melhorar as condições de trabalho nesses locais, onde o acesso de dirigentes sindicais é absurdamente proibido”, relata Ivone Silva, secretária-geral do sindicato.

A forma como as reivindicações vêm sendo apresentadas à sociedade, entretanto, tem prejudicado a imagem dos bancários junto à população. É possível encontrar pelas redes sociais reclamações sobre o fato de que as agências digitais estão sendo apontadas como vilãs. Essa insatisfação ocorre porque o modelo de negócios é mais barato e menos burocratizado que o tradicional, dois fatores que o fizeram cair nas graças dos clientes.

http://twitter.com/jhoonb/status/776488754617999360?ref_src=twsrc%5Etfw

Fonte:  olhardigital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Os 10 filmes mais pirateados da semana

Saiba quais foram os filmes mais buscados por usuários de sites de torrent Todas as semana…