Jogar videogames sempre foi uma atividade relacionada ao conjunto console e TV. A Samsung tenta mudar esse paradigma vendendo uma televisão que já vem com um sistema de games. Mas não é aquele tipo de televisão que vem com joguinhos simples, como várias fabricantes já fizeram no passado. Trata-se de uma plataforma de jogos de grandes estúdios que são executados na nuvem e o sinal de vídeo é enviado de volta para o televisor.

Chamada GameFly, essa plataforma funciona como um Netflix de games. Mediante assinatura mensal, o usuário pode jogar títulos como PES 2015, Batman Arkham Origins, Pac-Man Edition DX+, diversos games da Lego, entre outros.

Antes de escolher quais você vai contratar por um mês, dá para jogar cada game por 10 minutos. Isso ajuda a conhecer a trama inicial e evitar surpresas negativas com a jogabilidade.

Utilizando uma rede de 10 Mbps conectada via cabo à TV, a experiência de jogo foi boa. Mas a rede tem que ser dedicada ao streaming. No INFOlab, tivemos problemas com imagem e som quando começamos a fazer downloads de aplicativos em um smartphone Android, por exemplo. O interessante é que, se a rede ficar muito fraca para a transmissão, o GameFly para e informa o usuário sobre a sobrecarga na internet do local.

De acordo com a Samsung, a velocidade mínima para a reprodução de jogos com resolução de 480p é de 4 Mbps, enquanto para HD é preciso ter, ao menos, 8 Mbps.

A dúvida principal que fica é: o jogo vai apresentar um intervalo incômodo entre o pressionar do botão e movimento que aparece na tela (o chamado lag)? A resposta é: depende do jogo. Em games em que a velocidade de resposta é essencial, como títulos de luta, sim. Foi preciso passar por um período de adaptação para jogar razoavelmente bem Blazblue Calamity Trigger.

Foto da Plataforma de jogos na nuvem GameFly

TV Samsung: aparelho vem com acesso à plataforma GameFly

Títulos como Batman, Shank e Ethan também se saíram bem, já que são jogos que não necessitam de total precisão nos comandos.

Isso vale para jogadores casuais, quem é fã convicto de games de luta, ao ponto de comprar monitores com maior taxa de atualização de imagem, provavelmente vai julgar a experiência pobre. A execução local ainda é o melhor para esses jogadores.

Mas o público casual é mesmo o alvo da plataforma da GameFly, segundo a Samsung. A ideia é que o consumidor que não é fanático tenha alguns jogos para desestressar no fim do dia ou para se divertir com os amigos – sem precisar gastar mais de 100 reais por jogo.

Ainda assim, o GameFly não é executado sem alguns problemas. A imagem que conseguimos com os 10 Mbps de internet foi pouco mais do que a HD e a taxa de quadros por segundo não se manteve a 60 o tempo todo. A oscilação da internet fez o som sofrer ainda mais do que a imagem. Em certos momentos, ele ficou picotado, como em uma ligação com sinal ruim. Quem gosta de trilhas sonoras vai ficar decepcionado se a banda não for maior do que a usada nos testes do INFOlab.

Lucas Agrela/EXAME.com

Foto da plataforma de jogos na nuvem GameFly

TV Samsung: aparelho tem sistema operacional Tizen

A plataforma da GameFly atende bem a essa premissa. Jogar títulos como PES 2015 foi viável e é prático saber que você não precisa trocar de mídia para continuar a jogar.

A comparação da GameFly com a Netflix é inevitável pelo visual do app. Entretanto, ao contrário da plataforma de vídeos, os jogos são oferecidos em assinaturas com pacotes de títulos. São três opções e mais uma que a empresa chama de À La Carte. A primeira é a All Around, que traz games de caráter casuais e também o Batman: Arkham Asylum. A segunda é a Hardcore, que traz, além de três títulos de Batman, Hitman, F.E.A.R. 3 e Mafia II. A terceira é voltada para crianças e oferece acesso aos games da linha Lego. Outros jogos são oferecidos no esquema À La Carte, como é o caso de PES 2015.

Os preços das mensalidades são os seguintes:

Planos Preços
All Around 21,90 reais
Hardcore 24,90 reais
Lego 24,90 reais
À La Carte 5,90 a 49 reais

Mais detalhes sobre os planos estão disponíveis no site oficial do GameFly.

Vale a pena?

A GameFly está disponível somente em TVs da Samsung que rodam o sistema Tizen. O modelo mais básico dessa linha sai por 1.750 reais (um televisor LED de 32 polegadas com resolução Full HD). Se você está pensando em trocar de televisão e tem um videogame da geração passada, a plataforma vale a pena – exceto se você for um grande fã de jogos de luta. Em linhas gerais, a GameFly é voltada para jogadores de fim de semana. Quem joga todos os dias vai optar por pagar mais caro e continuar a rodar games localmente em consoles.

Fonte:  exame.abril

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

TikTok coletou dados do usuário usando uma tática banida pelo Google

The logo of Chinese video app TikTok is seen on the side of the company’s new office…