O Telegram começou a ficar cada vez mais famosos depois de adotar posturas pró-privacidade e protecionistas em relação aos seus usuários. O aplicativo de mensagens tem passado por um crescimento impressionante este ano. Pavel Durov, o fundador da iniciativa, deu uma extensa e interessante entrevista ao TechCruch, falando um pouco sobre o que mudou, e como foi essa experiência de ter hoje 12 bilhões de mensagens enviadas diariamente, muito acima dos dois bilhões em maio, e 1 bilhão em fevereiro.

Sua média mensal de usuários ativos gira em torno de 60 milhões, semelhante ao visto em maio, de modo que o crescimento relatado é mais sobre um maior envolvimento com o serviço pelo grupo existente de usuários. Durov confirmou isso, dizendo que a equipe está vendo os usuários que tinham originalmente instalado o aplicativo como uma opção secundária para mandar mensagens começa a tornar este o seu aplicativo principal.

“A coisa mais interessante que notamos é que as pessoas que instalaram Telegram – em termos de números maciços no ano passado e este ano – o fizeram apenas como um aplicativo de back-up, e agora começaram a usar Telegram como seu aplicativo de mensagens principal. E é por isso que estamos vemos este enorme aumento na atividade do usuário.

Isso é um indicador de que as pessoas realmente amam Telegram e estão levando mais e mais de suas atividades para lá. É cada vez mais frequente que eles comecem seu dia usando o nosso aplicativo de mensagens … Eu acho que devemos ser realmente felizes com isso. Os Messageiros são provavelmente a maior coisa acontecendo nas mídias sociais nos dias de hoje”.

Apesar dos sessenta milhões de usuários, o Telegram está longe de ser uma plataforma de mensagens na mesma escala que o WhatsApp ou o WeChat. Apesar disso, Durov afirma que o Telegram tem apenas dois anos de idade – ao passo que o WhatsApp, por exemplo, já está com seis anos de mercado.

Durov é criador e CEO do Telegram.
Durov é criador e CEO do Telegram.

A importância da privacidade

Durov iniciou sua fala argumentando que a criptografia e a privacidade são apenas “uma das coisas que tornam Telegram diferente”.

“Se você tem o WhatsApp no seu telefone e sua bateria acaba, de repente, você não pode ter acesso a suas mensagens. Acabou. Não é um aplicativo flexível, ele não tem sincronização entre dispositivos. Você não pode enviar documentos ou grandes grandes arquivos de mídia. Há muitas limitações nos chats em grupo, em sua comunicação. Não é privado. Então eu não tenho certeza se eu posso afirma que eu sou um grande fã do WhatsApp da mesma forma que eu era há cerca de três anos atrás”.

Durov contou uma história de uma amiga sua na Rússia, cujas mensagens de WhatsApp foram interceptadas e decodificadas pela polícia. “Ela me disse que eles tentaram usá-lo para chantageá-la. Assim, a privacidade não é algo que é relevante apenas para usuários de negócios, mas as empresas são as mais afetadas, porque elas podem ser chantageados”, disse ele. “As pessoas ricas podem ser chantageadas, e toda sua troca de informação sensível poderia ser comprometida.”

O Telegram está sendo pressionado por diversos governos para acabar com o seu termo de privacidade absoluta. Isso é algo que as agências de inteligência do governo em países como o Reino Unido e os EUA estão comprometidos a fazer, usando como base do argumento o uso do Telegram por extremistas do Estado islâmico. Durov confirmou que o ISIS está usando Telegram. O repórter por sua vez decidiu continuar com esta linha de questionamentos: “Esta é uma preocupação você? Você dorme bem à noite sabendo que os terroristas utilizam a sua plataforma?” Pressionado por Butcher, Durov faz uma pequena pausa enquanto pensa em sua resposta.

“Essa é uma pergunta muito boa, mas eu acho que a privacidade, em última análise, e nosso direito à privacidade é mais importante que o nosso medo de coisas ruins que acontecem como o terrorismo. Sim, há uma guerra acontecendo no Oriente Médio. É uma série de acontecimentos trágicos, mas em última análise, o ISIS vai sempre encontrar uma maneira de se comunicar entre seus membros. E se qualquer meio de comunicação não se mostrar seguro para eles, o que vai acontecer é que eles vão mudar para um outro.

Eu não acho que nós estamos tomando parte em suas atividades. Eu não acho que devemos nos sentir culpados por isso. Eu ainda acho que estamos fazendo a coisa certa, protegendo a privacidade de todos os nossos usuários. ”

Vale lembrar há pouco tempo atrás o programa foi acusado de ter tido sua criptografia decifrada por um grupo, o que gerou muita raiva na rede, mas parece não ter afetado a popularidade crescente da plataforma.

O Telegram foi acusado de servir como meio de transmissão de mensagens para o ISIS

Problemas com bots de pornografia

Butcher da TechCrunch também decidiu perguntar a Durov se havia alguma contradição na atitude do Telegram de expulsar os bots pornográficos de sua plataforma em certos mercados, como o Irã, já que isso poderia ser visto como uma ação contra o seu ponto de vista libertários e a liberdade de expressão. Durov disse que sua empresa não negocia com governos, e acrescenta que a remoção de bots pornográficos é meramente uma decisão de negócios em certos mercados.

“Nós não somos grandes fãs de pornografia. Nós não queremos que Telegram seja percebido como uma fonte de pornografia. E assim nós bloqueamos esse tipo de coisa “, disse ele. “Fazemos isso puramente por motivos comerciais. Em alguns mercados nós não queremos ser percebidos como algo que tem a ver com pornografia, como é o caso do mundo Árabe onde isso é extremamente mau visto. Este é o mesmo raciocínio por trás da decisão da Apple de bloquear conteúdo pornográfico na App Store, ou a decisão do Instagram de bloquear pornografia na sua rede, ou do Facebook, ou do YouTube… São inúmeros exemplos deste tipo de política. Nós pensamos que esta é a coisa certa a fazer. ”

“Mas se falamos de privacidade e liberdade de expressão, temos princípios muito inflexíveis sobre isso. Por mais de dois anos de nossa existência, não divulgamos um único byte de dados a terceiros – até mesmo para os governos. E não foi fácil.”

Os Pornbots são usuários falsos que se passam por mulheres vendendo serviços de pornografia como fotos e afins.

Monetizando o Telegram

O final da entrevista tratou sobre o futuro do Telegram, o que ele pretende fazer a parti de agora. Uma das melhores formas de monetizar a plataforma é a criação de bots inteligentes que podem oferecer todo tipo de serviço por mensagem. Durov afirma que o Telegram está pensando em lançar uma API para desenvolvedores usando sua plataforma de bot para aceitar pagamentos de usuários.

“Nós lançamos a plataforma bot durante este ano”, observou ele. “Assim, qualquer desenvolvedor usando APIs muito simples pode criar um bot, que se parecerá oficialmente com um usuário humano, capaz de se comunicar normalmente pelo Telegram. Mas, no outro lado da linha temos uma máquina que está apta a lidar com todas as mensagens dos usuários, e uma série de serviços têm aparecido usando esse paradigma de comunicação. Coisas como namoro, educação, produtividade e etc. ”

Durov também falou que pretende usar aplicativos de terceiros em sua plataforma de mensagens, dando mais flexibilidade aos usuários e possibilitando que todos os tipos de serviços possam aparecer para os usuários no lugar de se focar apenas em comunicação.

Fonte:  tudocelular

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

YouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTok

Em fase de testes, YouTube Shorts está disponível somente para usuários de Android na Índi…