O Procon-SP publica a cada semestre um relatório com as empresas mais reclamadas no órgão de defesa do consumidor. As queixas se referem a vícios nos produtos, e os smartphones ocupam a primeira posição entre as categorias mais problemáticas: foram 2.709 reclamações, cerca de 30% do total.

De janeiro a junho de 2015, estas foram as fabricantes de celulares mais reclamadas no Procon-SP:

  • Sony (865 reclamações, 69% de solução)
  • Motorola (535 reclamações, 86% de solução)
  • Samsung (497 reclamações, 95% de solução)
  • Microsoft (114 reclamações, 86% de solução)
  • LG (109 reclamações, 89% de solução)

Os dados levam em conta o número absoluto de reclamações classificadas na categoria “vício no produto” emitidas para as fabricantes. Portanto, a tendência é que as empresas que mais vendem também recebam mais queixas. As informações mais recentes do IDC dão conta de que, no Brasil, o mercado de smartphones é liderado pela Samsung, seguido por Motorola e LG.

O Procon-SP destacou que a Sony aumentou muito o número de queixas: foram 865 no primeiro semestre de 2015, contra apenas 99 no mesmo período do ano passado (um aumento de 773%). O índice de solução da fabricante japonesa também piorou bastante: foi de 94% em 2014 para 69% em 2015.

Os produtos de informática, incluindo computadores, notebooks e tablets, foram responsáveis por 13% das demandas de reclamações de produtos no Procon-SP. A lista foi liderada pela chinesa Lenovo, também responsável pela CCE, com 322 reclamações. As brasileiras Positivo e DL tiveram os piores índices de solução: 59% e 60%, respectivamente. Esta é a lista completa:

  • Lenovo e CCE (322 reclamações, 80% de solução)
  • Positivo (165 reclamações, 59% de solução)
  • Dell (74 reclamações, 80% de solução)
  • DL (48 reclamações, 60% de solução)
  • HP (45 reclamações, 86% de solução)

O levantamento completo (que também abrange produtos da linha branca) pode ser consultado na página do Procon-SP. O órgão reforçou que os fornecedores são responsáveis por defeitos de qualidade ou quantidade de seus eletrônicos, e que os consumidores podem exigir a substituição do produto ou devolução do dinheiro caso o problema não tenha sido solucionado em 30 dias.

Fonte:  tecnoblog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

YouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTok

Em fase de testes, YouTube Shorts está disponível somente para usuários de Android na Índi…