ade Raymond, produtora de longa data na Ubisoft e que ajudou a estabelecer o estúdio de Toronto, anunciou hoje que está de partida da empresa após um percurso de 10 anos.

Seus primeiros passos na indústria foram em The Sims Online, na EA Maxis. Depois disso, passou para a famosa desenvolvedora francesa, onde atuou como produtora do primeiro Assassin’s Creed e produtora executiva de Assassin’s Creed II. Também esteve envolvida em Splinter Cell: Blacklist e Watch Dogs até então, sendo que desde 2009, a sua principal ocupação tem sido gerir o estúdio da Ubisoft em Toronto.

fea-jay-raymond-hed-2014

“Eu passei 10 anos extraordinários na Ubisoft, e tenho orgulho de ter feito parte de muitos dos melhores times na indústria, fazendo jogos realmente notáveis”, declarou Jade Raymond. “Essa é uma das decisões mais difíceis da minha carreira, mas o estúdio de Toronto é forte e está em um caminho sólido”.

O futuro do estúdio Toronto e de Jade Raymond

“Estou confiante que este é o melhor momento para passar a liderança do estúdio para Alex e perseguir minhas outras ambições e buscar novas oportunidades”, explica, sobre o seu futuro na indústria.

A mesma completa: “Fiquem atentos para saber o que vem a seguir para mim, mas por enquanto, gostaria de agradecer à Ubisoft pela sua parceria ao longo dos anos e desejo-lhes o melhor nos seus próximos investimentos”.

Jade_Raymond_Blue_Dress_Assassins_Creed

A cadeira de Raymond passará a ser ocupada por Alexandre Parizeau, que também ajudou a fundar o estúdio de Toronto. Com mais de 15 anos de experiência na indústria dos videogames, os destaques no currículo de Parizeau ficam pela produção sênior em Splinter Cell: Blacklist, e produção em Splinter Cell Conviction e Rainbow Six Vegas.

Fonte: rings.epicplay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Banda larga pode aumentar de preço devido a processo da PGR

Operadoras afirmam que internet ficará mais cara se STF derrubar direito de passagem gratu…