Cientistas da Universidade Chuo, no Japão, conseguiram um grande avanço na maneira como os Solid-State Drives (SSD) gravam e gerenciam os dados. A nova descoberta vai permitir velocidades de até 1,5 GB/s usando 60% menos energia. E o melhor: as mudanças são puramente baseadas em software e podem ser alcançadas com um simples update na firmware dos drives.

Atualmente, os dados de um SSD não podem ser sobrescritos nos chips NAND dos drives, devendo ser necessariamente salvos em “novas áreas” dele enquanto as “antigas são formatadas”. Esse processo pode aumentar o número de dados fragmentados e diminui a performance do SSD com o tempo, além de reduzir sua vida útil. O novo processo, entretanto, utiliza o que os pesquisadores chamam de “embaralhador lógico de endereço de bloco”, que impede os dados de serem escritos em “novas áreas” a menos que seja completamente necessário. A diminuição da cópia de dados “nos bastidores” aumenta a performance do drive enquanto reduz o tanto de energia necessário para ele trabalhar. Nos teste de laboratório foi visto um ganho de 300% nas velocidades.

Devido à nova tecnologia ser completamente baseada em software, updates futuros na firmware dos SSDs de quem já os tem são uma possibilidade bem real.

Fonte: adrenaline via Neowin.

Um comentário

  1. cobrakampas

    24 de maio de 2014 em 18:45

    mais rápido? vai queimar meu processador!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Telegram testa chamadas de voz em grupo

Em breve, o Telegram permitirá chamadas de voz em grupos. O recurso está em testes na vers…