Você se lembra do que fazia na escola aos 13 anos? É bastante improvável que tenha sido algo tão incrível quanto o jovem Jamie Edwards, que se descreve como um “cientista nuclear amador”. Isso mesmo: em seu tempo livre, ele fica um tempo a mais na escola trabalhando em um reator de fusão nuclear.
Com seu trabalho, o jovem britânico quebrou o recorde de mais jovem da história a realizar esta tarefa, superando o anterior, um americano de 14 anos.

O feito de conseguir a fusão nuclear em sua escola, a Penwortham Priory Academy, colidindo dois átomos de hidrogênio para criar um de hélio, só foi possível graças ao apoio de sua escola, que ofereceu um orçamento de US$ 3.350 para que ele tocasse o projeto, e professores para auxiliar.

Para poder tirar o projeto do papel, Jamie precisou de algumas peças pouco usuais para o cotidiano da escola, como bombas e câmaras de vácuo, filamentos de tungstênio e um bastão de alumínio, entre outros. Ele também precisou passar por um curso de segurança com radiação antes de operar o reator.

O garoto manteve um blog durante o processo, onde ele lista seus passos com o reator. Seu principal desafio foi evitar os vazamentos na câmara de vácuo. Seus professores começaram a se preocupar quando uma vasilha de deutério, um isótopo radioativo do hidrogênio, chegou na escola por entrega especial.

O momento em que Jamie consegue o feito pode ser conferido no vídeo abaixo, feito pela BBC. Ao ser entrevistado, o garoto mal consegue conter a empolgação. “Eu não consigo acreditar”, afirma.

Fonte: olhardigital via news.cnet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Rede de fibra óptica submarina que liga o Brasil a Europa começa a operar em julho

Obra custou R$ 1 bilhão, tem 6,2 mil quilômetros e permite reduzir em até 50% o tempo de r…