Há 10 anos, Andy Rubin foi à Coreia do Sul tentar vender seu desconhecido software Android para a Samsung. Criado por ele um ano antes, o sistema dependia de investimentos para ganhar corpo. Mas a reunião com os executivos não foi proveitosa e acabou virando piada. “Você e qual exército vão criar isto? Você tem seis pessoas. Está louco?”, desdenharam os porta-vozes que, em seguida, riram da proposta.
Andy-Rubin-Google-VP-Engineering
A história acima é contada por Rubin no livroDogfight: How Apple and Google Went to War and Started a Revolution” (“Dogfight: Como Apple e Google foram para a guerra e começaram uma revolução”, em tradução livre), de Fred Vogelstein, publicado esta semana nos Estados Unidos. À venda na Amazon, a obra revive os primeiros movimentos das fabricantes no segmento que levaria menos de uma década para se popularizar.

Duas semanas após a reunião na Coreia, Google e Rubin começaram a conversar; em 2005, a companhia comprou o Android por US$ 50 milhões e absorveu as pessoas envolvidas no projeto. Nove anos mais tarde, presente em 85% dos smartphones pelo mundo, o Android equipa quase todos os celulares da coreana, a tem como principal fabricante e causa sérias dores de cabeça à Apple.

Se a Samsung tivesse dito sim em 2004 as coisas teriam sido diferentes? Como? Deixe sua opinião aí embaixo?

Fonte: olhardigital via Phone Arena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

YouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTok

Em fase de testes, YouTube Shorts está disponível somente para usuários de Android na Índi…