Ficar mais velho é uma droga. Os parquinhos são trocados por cubículos em empresas e comidas saudáveis substituem doces e chocolate. Ou algo assim.

Por TinaAmini

Uma das piores faces da vida adulta é aquela sensação de que nunca há tempo sobrando. Para qualquer coisa. Incluindo o videogame, que é uma das primeiras coisas a ser deixada de lado quando passamos a acumular cada vez mais tarefas e responsabilidades.

Uma das coisas mais tristes que eu ouço é quando uma pessoa me fala que não tem mais tempo para jogar videogame. Na lista de prioridades da vida, os jogos não ficam entre os primeiros lugares. Claro, a pessoa ainda passa hora vendo séries na TV ou indo a shows e ao cinema, mas e o console? Bom, o console fica de lado.

Eu bem que tento dizer ao meu irmão mais velho que, apesar de todos os compromissos familiares, do novo emprego e do novo cachorro, ainda há tempo para os videogames. Por favor, arrume um tempo para os jogos!

Acredito que é possível inserir um pouco de videogame em um estilo de vida e uma rotina adulta. Se você pode parar para ler um livro por algumas horas em um domingo, certamente você consegue ter algumas horas de jogo. Afinal, os games valem o investimento de tempo por várias razões. Eles são terapêuticos. Eles são educativos. Eles são bem divertidos.

Em uma tentativa de convencer mais pessoas a pelo menos tentar inserir o videogame na rotina da família, coloco abaixo algumas dicas para gerenciamento de tempo que vão te ajudar a conseguir isso.

1 – Limite o seu consumo e evite os jogos mais extensos

Vamos combinar que você não está mais na faculdade. Você não tem mais o luxo de passar um fim de semana inteiro no seu quarto jogando Halo e GoldenEye com seus colegas de república, amigos e até seu professor. Agora, mais do que nunca, é importante priorizar quais games você vai jogar.

Pessoalmente, eu passei a evitar completamente alguns jogos que consumiam muito tempo da minha vida. Eu costumava jogar muito World of Warcraft. Eu fazia parte de uma guilda. Socializar, para mim, era entrar um chat com meus amigos de guilda e jogar online com o pessoal. Eu até virei uma pessoa multitarefas e, enquanto jogava, ficava assistindo a alguma série na TV.

Atualmente, no entanto, é importante não passar o dia inteiro jogando, então eu não jogo mais os infinitos MMOs. Mas ainda há jogos que eu passo jogando da manhã até a noite, e não apenas aqueles que estou fazendo review. Eu gosto tanto de games que ainda me sinto produtiva quando passo um dia explorando um jogo complexo, como Ni no Kuni. Mas isso é provavelmente diferente para mim, uma vez que jogar faz parte do meu trabalho. Se você tem família e outras responsabilidades, é provável que você não queria ter um dia inteiro dedicado a um jogo. Você pode se sentir culpado por não ter lavado a roupa ou montado a bicicleta do seu filho. E todo o resto das coisas que os pais fazem.

Eu conversei com um pai, Shawn, que consegue equilibrar a vida de um fã de games com seu papel como marido e pai. E ele tem a mesma opinião sobre os MMOS. “É impossível jogar MMOs. Minha agenda é muito imprevisível e irregular, e eu não posso me comprometer com guildas ou amigos online. E eu certamente não tenho tempo para ficar horas explorando para obter mais experiência, armas, dinheiro, etc. Eu passei alguns anos envolvido no EvE Online entre 2006 e 2007, mas atualmente seria impossível ficar atualizado neste tipo de jogo”, afirma Shawn.

help

Eu noto uma dificuldade parecida com os jogos de tiro em primeira pessoa. Esses jogos são perigosos para mim porque eu começo pensando “Bem, só vou jogar algumas partidas” e termino algumas horas depois tentando uma revanche contra algum rival. Eu tenho uma tendência viciante de querer sempre jogar mais um round nos jogos de tiro em primeira pessoa, e isso não é bom, porque sempre há um próximo round.

Claro, eu ainda entro online quando preciso relaxar um pouco ou quando quero jogar com amigos em um fim de semana, mas eu tento limitar a minha presença nos servidores de FPS porque eu sei que eu vou ficar um dia inteiro dando tiros e nem vou perceber as horas passando.

Eu também decidi evitar os RPGs que exigem caminhadas e explorações intermináveis até eu ficar poderosa o bastante para progredir. Você sabe do que estou falando. Eu ainda estou avançando emEtrian Odyssey IV, mas cheguei em um ponto em que preciso explorar muito para prosseguir. Eu apenas continuo por ser um jogo portátil e eu posso aproveitar o tempo no ônibus, no trem ou enquanto espero por um amigo no restaurante. É mais fácil integrar um jogo portátil aos pequenos momentos de tempo livre em que eu gastaria lendo o clancobra ou acompanhando a timeline no Twitter no smartphone.

Os compromissos da “vida real” podem limitar o seu tempo diário de game em apenas 30 minutos por dia, por exemplo. Dan, um amigo e pai de um garoto de 6 anos, me contou que é difícil limitar a jogatina a pequenos intervalos, mas isso acaba sendo uma necessidade. “Ter outras responsabilidades na casa significa que você vai desenvolver um ótimo relacionamento com o botão de pause”, explica Dan. “Jogos sem a opção de ‘Salvar e Sair’ são o inimigo”, diz. Escolher um jogo que consuma menos tempo pode significar selecionar um jogo com intervalos mais naturais, em que é possível começar e parar conforme o necessário.

Doug, um cara casado e com uma vida profissional cheia de viagens, tem um sentimento parecido. “Fins de semana e madrugadas são tudo o que tenho. E em algumas noites eu sei que não posso passar mais do que 30 minutos jogando, então eu tenho que ter certeza que não vou ficar muito imerso no jogo. Prefiro jogos de plataforma em que posso jogar por um tempo, salvar e continuar depois, sem precisar lembrar de onde estava quando interrompi o jogo”, explica Doug.

O jogo que você escolher tem de atender às suas necessidades e ao seu estilo de jogo, mas o objetivo aqui é lembrar que você deve procurar um game que não te faça ficar muitas horas ausentes das outras tarefas do dia.

2 – Pule os conteúdos extras e siga em frente

Pode ser difícil deixar um gênero com o RPG de lado completamente porque ele requer muito tempo para ser finalizado. Mas se você não conseguir ficar longe do RPG, tente pular as side quests e desencane de procurar aqueles objetos escondidos, especialmente se você quiser terminar esses jogos rapidamente.
Dan usa uma tática similar, rejeitando sua necessidade colecionista de explorar cada canto obscuro do mapa. “Gastar menos tempo explorando as partes remotas do mapa (ou até deixar de lado o tedioso gerenciamento de inventário e de personagem) significar ter mais tempo de gameplay”, diz Dan.

Pai de uma adorável menininha, Randy comenta que a busca por troféus e conquistas acaba atrapalhando a busca pelo fim do jogo. “Algumas conquistas são feitas especificamente para aumentar o tempo de jogo e podem te tirar do caminho natural para o fim do game”, explica.

3 – Tenha prioridades

Se o seu bebê está chorando porque precisa trocar a fralda, agora não é hora de testar aquele novo DLC que você baixou de seu game favorito. Vá trocar a fralda cagada primeiro.

Se você prometeu para sua mulher que iria fazer um jantar romântico naquela noite, vá fazer as compras no supermercado no lugar de ficar tentando achar aquele objeto escondido no seu RPG favorito.

Se você precisa entregar um relatório no trabalho amanhã às 9h, faça o dever primeiro para poder jogar com mais tranquilidade depois.

“Se a minha mulher precisa de qualquer ajuda, colocar o controle de lado é a melhor opção”, afirma Shawn. Ele explica que esta é a parte mais importante de sua rotina de games. Sua mulher entende que os jogos fazem parte de sua vida, mas é necessário ter uma recíproca. “É necessário ter um equilíbrio e eu devo entender que os jogos não são a prioridade”, explica.

Se você priorizar sua lista de tarefas primeiro, você não irá se sentir culpado por jogar depois. Se você perder prazos no trabalho ou deixar seu marido/mulher chateados, você começará a imaginar que os games estão atrapalhando a sua busca por felicidade. Eles não estão! Você só precisa priorizar.

prioritize

4 – Diversifique o seu consumo de mídia e faça trocas

Se você tem frequentado muitos shows recentemente ou está viciado em alguma série de TV, tente trocar algumas coisas e substitua esse seu hobby atual por algum jogo que você sempre quis jogar mas nunca teve tempo.

Dessa forma, você não está reduzindo o tempo de suas tarefas, apenas trocando uma atividade prazerosa por outra.

5 -Seja seletivo e mantenha sua coleção de jogos compacta

Eu gosto de manter todos os meus jogos. Mas pode ser temeroso olhar para a prateleira e perceber que não joguei nem metade dos jogos que estão lá. Talvez alguns ainda estejam plastificados. Mas você é um adulto agora. Não é possível arrumar tempo para jogar tudo o que é lançado.

Converse com amigos, leia alguns de seus sites de games favoritos e tente escolher apenas aqueles jogos que você tem certeza de que precisa jogar. Minha mãe me dava o mesmo conselho quando eu ia comprar roupas. “Se você não tem certeza, provavelmente não irá usar”.

A mesma coisa vale para os games. Se você não está super animado sobre um jogo, é bem provável que vai deixá-lo de lado por algum clássico favorito ou qualquer novidade que aparecer no caminho.

Portanto, seja seletivo em relação aos jogos que você compra ou pega emprestado.

6 – Jogue no fácil

Esta é uma dica realmente complicada pra mim. Eu geralmente gosto de jogar pelo menos no modo “Normal”, mas se eu sei que um jogo é particularmente longo, acabo colocando no modo “Fácil”. Eu consigo ter a experiência do jogo, mas sem gastar tanto tempo.

7 – Tente integrar os jogos às outras partes da sua vida

Pode ser difícil gerenciar a rotina diária com os jogos, especialmente se você já tem filhos. Eu conversei com Evan Narcisse e Mike Fahey, escritores do do site Kotaku e pais, sobre como eles organizam a vida.

Evan brincou que o único jeito para continuar jogando é ficar acordado até tarde, mas talvez você não queira sacrificar aquelas horas deliciosas de sono. Dan deu uma sugestão similar, mas ele prefere acordar um pouco mais cedo que o resto da família para poder acomodar sua rotina de jogos.

Fahey também contou que se acostumou a jogar alguns jogos que seus filhos podem gostar em alguns anos. Dessa forma, quando você quiser jogar com os filhos, estará matando dois coelhos com uma cajadada só. Estará jogando e interagindo com os filhos!

Essa mudança de rotina também funciona para quem não tem filhos. Eu já falei que passei a jogar bastante no caminho para o trabalho no 3DS ou no Vita. Esta é uma ótima maneira de ter mais horas de jogo sem perder as horas produtivas do seu dia.

Estas são apenas algumas dicas que posso dar. Algumas delas são de experiência própria, que tive que adotar conforme meu tempo livre começou a ficar cada vez mais raro. Outras vieram com a ajuda de pais e recém-casados que passaram a lidar com os limites do tempo. Se você tem outras dicas, deixe seu comentário abaixo!

Fonte: kotaku

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Novo iPhone pode ser lançado dia 13 de outubro, sugerem fontes.

A Apple pode estar próxima de lançar o novo iPhone 12 no dia 13 de outubro. A informação é…