A AMD anunciou os chips conhecido até agora com o nome de código Kaveri. Os novos processadores inauguram uma nova forma de contar e usar os núcleos de processamento gráfico.

A linha de CPUs, ou melhor, de APUs (Accelerated Processing Unit) da AMD foi enriquecida com a chegada da geração Kaveri. De acordo com a apresentação da AMD, os Kaveri trazem muitas melhorias na microarquitetura, sobretudo no aproveitamento da capacidade dos processadores gráficos integrados. Aliás, a AMD não tem qualquer pejo em definir os novos chips como «revolucionários» ou «os mais avançados processadores que a AMD já criou».

A grande novidade é, de acordo com a informação da AMD, a capacidade heterogénea do chip. Ou seja, a capacidade de usar simultaneamente os núcleos de processamento geral – os tradicionais CPUs – ou os núcleos de processamento gráfico – os tradicionais GPUs –  de acordo com as necessidades do software. Uma promessa antiga da AMD. Em suma, os novos Kaveri foram criados para usar as unidades gráficas para acelerar, como nunca, as mais variadas aplicações, mesmo software não gráfico. amd-cpu-apu-huma1

Relativamente à geração anterior (Richland), os Kaveri devem ter um desempenho até 20% superior na computação geral (CPU). Quanto as unidades gráficas são utilizadas, o aumento de desempenho pode ser muito superior. Por exemplo, nos testes apresentados pela AMD, o novo A10-7850 consegue ser 4x mais rápido que o Core i5-4670K em cálculo no LibreOffice e até 2,3x mais rápido na aplicação do efeito smart sharpen no Photoshop CC.

No campo dos jogos, a AMD garante que o A10-7850K é significativamente mais rápido na grande maioria dos jogos que um Intel Core i5 4670K acompanhado por uma placa gráfica GeForce GT 630. Exemplos: a 1080p, o processador da AMD consegue 76 fps no FIFA 14 enquanto a solução Intel+Nvidia se fica pelos 42 fps.

Outra das novidades está na melhoria do escalonamento quando a usar uma placa gráfica para complementar o desempenho do processador gráfico embutido no A10-7850K: até mais 95% de desempenho quando este chip é acompanhado por uma placa gráfica Radeon R7 240.amd-cpu-apu-huma

A nova linha é constituída por três processadores, o AMD A10-7850K, o A10-7700K e o A8-7600. Os três utilizam unidades gráficas AMD de última geração (Radeon R7) a 720 MHz, 4 MB de cache, tecnologia TrueAudio, HSA (arquitetura heterogénea) e suporte para Mantle. O A8-7600, cuja data de chegada ao mercado ainda não foi definida, tem outra novidade interessante: TDP configurável pelo utilizador. Esta característica permite definir qual a dissipação térmica máxima (entre 45 a 95 watts), o que faz com que este processador possa ser instalado em máquinas muito compactas.

O topo de gama, o AMD A10-7850K, tem uma frequência base de 3,7 GHz (até 4 GHz em Turbo) e 12 núcleos computacionais. Esta nova denominação para os cores inclui a contagem dos núcleos tradicionais (CPUs) e uma nova forma de contar os núcleos gráficos (GPUs). No cão do A10-7850K, as 12 unidades computacionais incluem quatro núcleos de computação geral (CPU) e oito núcleos de processamento gráfico (GPUs). O A10-7700K tem uma frequência base de 3,4 GHz (3,8 GHz em Turbo) e 10 núcleos computacionais (4x CPU e 6xGPU). O A8-7600 tem o mesmo número de núcleos, mas trabalha a frequências um pouco baixas (3,3/3,8 GHz).amd-cpu-apu-huma3 amd-cpu-apu-huma2

Fonte: exameinformatica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Rede de fibra óptica submarina que liga o Brasil a Europa começa a operar em julho

Obra custou R$ 1 bilhão, tem 6,2 mil quilômetros e permite reduzir em até 50% o tempo de r…