A gamescom 2013 foi a primeira parada da turnê mundial que está levando o modo multiplayer de Call of Duty: Ghosts para eventos ao redor do planeta. Com o Brasil nos planos para o mês de outubro, a Activision está disposta a mostrar todas as mudanças do online diretamente para a comunidade de fãs.


Watch live video from callofdutyghosts on TwitchTV

Em uma prévia da semana passada, falamos sobre algumas das novas modalidades de jogo e a possibilidade de usar os cenários em favor próprio, criando armadilhas ou literalmente demolindo coisas nas cabeças dos oponentes. Agora, a hora era de aprofundar ainda mais as novidades do multiplayer e mostrar, principalmente, todas as opções de personalização.

O fim dos personagens randômicos

O sistema Create a Soldier, como está sendo chamado pela Activision, passa longe da tentativa de transportar os próprios jogadores para dentro do game. Não, você não será capaz de trabalhar a aparência do soldado como em um título da série The Sims ou colocar seus colegas de trabalho no campo de batalha para enfrentarem as ameaças com você.

Mas o usuário é capaz, sim, de usufruir de mais de 20 mil combinações diferentes de armaduras, equipamentos, cores, camuflagens e vestimentas que tornarão você único nas partidas. Tudo funciona de forma semelhante às boas e velhas criações de loadout, e novidades são habilitadas com o progresso do jogador pelas partidas.

 

Aqui, porém, há uma diferença significativa. A Infinity Ward abandonou completamente o sistema de experiência para a liberação de itens e trabalha agora com os Squad Points, uma “moeda” obtida a cada rodada e que pode ser usada para compra de armas e equipamentos. Ou seja, tudo estará à sua disposição desde o início e cabe a cada jogador escolher o que será adquirido primeiro.

Todas essas novidades também se aplicam aos Squads, outra grande novidade de Ghosts. Além de personalizar seu próprio personagem, também é possível criar uma equipe altamente especializada para atacar os diversos modos competitivos, que, agora, também abraçam personagens controlados pela inteligência artificial.

Mudanças semelhantes foram realizadas no sistema de Perks e, aqui, também têm como objetivo criar uma experiência mais equilibrada para jogadores de todos os níveis de habilidade. Os três slots padrão para a seleção de melhorias dão lugar a uma dinâmica também baseada em pontos, que podem ser gastos pelo jogador.

Cada uma tem um valor pré-definido e, ao todo, o usuário tem oito créditos para utilizar. Se desejar, pode se entupir de habilidades especiais mais fracas, escolhendo oito delas. Ou, então, selecionar duas mais fortes, gastando três “dinheiros” em cada, e uma média, que vale dois. Além disso, é possível abrir mão da arma secundária para aumentar ainda mais esse total de slots. Os Perks são divididos nas seguintes categorias:

  • Speed: como o nome já diz, baseiam-se em mobilidade e movimentos rápidos pelo mapa;
  • Handling: melhora o manuseio de armas a partir de habilidades que permitem recarregar enquanto corre ou melhorar o lançamento de granadas;
  • Stealth: o foco aqui é na furtividade, permitindo que você mate um inimigo sem aparecer no mapa e ande por aí de forma mais silenciosa;
  • Awareness: facilita a detecção de oponentes, armadilhas e equipamentos inimigos;
  • Resistance: torna o jogador mais forte, com uma regeneração mais rápida de energia, por exemplo;
  • Equipment: aumenta os slots para attachments, munição ou granadas;
  • Elite: categoria inédita que inclui sistemas de detecção de inimigos, aumentam o potencial destrutivo ou reduzem a quantidade de assassinatos necessários para ativar um Killstreak.

Aqui, também, a ideia é dar o maior número de combinações possível. Nas palavras do produtor executivo Mark Rubin, da Infinity Ward, a ideia das modificações no multiplayer de Call of Duty: Ghosts é fazer com que a experiência seja a mais pessoal e variada possível, sem elementos pré-definidos e com cada jogador atuando no campo de batalha da maneira que achar melhor.

Suas armas de guerra

Além de revelar as categorias de Perks, a Infinity Ward usou a gamescom para detalhar um pouco as classes de killstreaks, os elementos especiais que são habilitados sempre que um jogador manda bem e mata vários inimigos em sequência. Além dos bombardeios e satélites que revelam a posição dos inimigos, que já são elementos-padrão em Call of Duty, uma série de novidades foram adicionadas neste segmento.

 

É o caso, por exemplo, do Guard Dog, o carismático cão que vai avisar você sobre a aproximação de inimigos e proteger sua retaguarda do ataque de oponentes. E o canino não é a única “criatura” que pode ser “summonada” em Ghosts. Se quiser, você também poderá usar a ajuda do Maniac, um gigante protegido por armaduras que usa a faca como arma de preferência.

Além disso, temos o Helo Scout, um helicóptero de combate que permite dar suporte às tropas de solo; o MAAWS, sistema de direcionamento por laser que dispara torpedos nos inimigos; Night Owl, uma habilidade que libera um drone que detecta inimigos e desarma explosivos; e para terminar, o Sat Com, semelhante ao tradicional UAV, mas colocado no solo e com resultados aprimorados de acordo com o total deles instalados no mapa.

Abismo e teleportes em Colônia

A Activision também está aproveitando a turnê mundial de Call of Duty: Ghosts para divulgar informações em clima de apoteose, com todos os olhos do mundo voltados ao evento de games. No caso da gamescom 2013, além de todo o aprofundamento no sistema de personalização e construção de personagens, uma nova arena do modo multiplayer foi apresentada.

Chasm é categorizado por Rubin como uma arena grande e extremamente orgânica, que permite diversas estratégias de combate e possui uma geografia bastante valiosa para quem gosta de espalhar armadilhas por aí. Trata-se de um trecho urbano que começa em uma cidade destruída e se estende pelas galerias do metrô, com trens e ônibus que servem como gargalos de ataque e defesa.

A arena urbana foi o palco da apresentação de Blitz, mais um modo multiplayer inédito. Em uma dinâmica que mais parece ter saído de um game da série Portal, o objetivo aqui é ser rápido e atravessar o portal inimigo, que deve ser protegido pelos oponentes. Cada teletransporte vale pontos que contam muito para a vitória.

A novidade mostra também outra disposição constante da Infinity Ward, que quer tirar o estigma de “jogo de tirinho” da série Call of Duty. A morte dos inimigos, claro, continua sendo importante, mas a desenvolvedora mostra uma preocupação cada vez maior em fixar objetivos adicionais aos jogadores, privilegiando o trabalho em equipe e fazendo com que eles pensem tanto quanto atiram.

Call of Duty: Ghosts chega no dia 5 de novembro para PC, PlayStation 3 e Xbox 360. Edições para PlayStation 4 e Xbox One estarão disponíveis no lançamento dos consoles.

Fonte:baixakijogos via Activision

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Call of Duty: Black Ops Cold War e Call of Duty: Modern Warfare foram os jogos mais vendidos de 2020 nos EUA

Domínio da Activision Blizzard mostra o quanto Call of Duty é a franquia de jogos mais for…