syrian-electronic-army-logoOntem publicamos uma matéria aqui que tem como fonte o site no tecnoblog informando que o aplicativo Viber havia sido hackeado por um grupo sírio, que atende pela sigla SEA (Syrian Eletronic Army). Afirmamos que o grupo havia dito que tinha o poder de hackear qualquer sistema do aplicativo. O grupo afirmou, na verdade, que não conseguiu acessar todos os sistemas do Viber.

A empresa explicou ao TechCrunch, que a falha de segurança partiu de um funcionário que foi vítima de phishing scam, o que deu acesso a dois sistemas de suporte minoritários. O SEA extraíu dados de usuários de um desses sistemas e publicou na página de suporte do Viber – support.viber.com.

O SEA ainda publicou um tweet aconselhando os usuários a desinstalarem o aplicativo. Eles afirmam que a empresa estaria espionando e rastreando os usuários do aplicativo, guardando dados como IPs de acesso. Segundo a Viber, a database que guarda informações confidenciais dos usuários permanece inviolada e não pode ser acessada através desse tipo de ataque.

Erramos.

No intuito de alertar os leitores do COBRA o mais rápido possível, acabamos publicando um artigo com algumas informações equivocadas. Nos desculpem pela falha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

YouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTok

Em fase de testes, YouTube Shorts está disponível somente para usuários de Android na Índi…