Saiba como e por que a Tsar Bomba foi desenvolvida pela União Soviética.

Já trouxemos para vocês aqui uma matéria sobre algumas detonações espetaculares de bombas que entraram para a História, e claro que entre elas não poderia faltar a maior bomba nuclear já desenvolvida pelo homem. Caso você não saiba, estamos falando da Tsar Bomba — ou “Big Ivan” para os íntimos —, que foi criada pelos soviéticos no início da década de 60. E por que, afinal, esse monstro foi construído?

A Tsar Bomba foi desenvolvida durante a Guerra Fria, e seu principal propósito foi o de demonstrar ao mundo — e especialmente aos EUA — o poder bélico e tecnológico soviético. O artefato era tão absurdamente grande que, em termos práticos, seria muito difícil transportá-lo para que fosse detonado durante uma batalha, e mais complicado ainda levá-lo até os Estados Unidos.

Além disso, a bomba era tão poderosa que, mesmo depois que os soviéticos reduziram a sua força pela metade, o índice de sobrevivência da tripulação responsável por transportá-la foi estimado em 50%, considerando que todos estivessem a 10 quilômetros de altura e 45 quilômetros de distância no momento da detonação, que deveria ocorrer 4 quilômetros antes de a bomba atingir o solo!

Desenvolvimento e testes

Originalmente, a Tsar contava com 100 megatons, que foram reduzidos para um poder explosivo entre os 50 e 57 megatons com o intuito de minimizar a dimensão da destruição. Ainda assim, só para que você tenha uma ideia, o dispositivo era 3 mil vezes mais potente do que a bomba de Hiroshima. E sabe quanto tempo a equipe responsável pela Tsar — composta por apenas cinco físicos soviéticos — demorou em construí-la? Entre 14 e 16 semanas!

No final de outubro de 1961, os soviéticos decidiram realizar um teste com a Big Ivan e mostrar ao mundo inteiro o que acontece quando se explode um dispositivo de 50 megatons. Para isso, uma equipe de engenheiros teve que remodelar uma aeronave e retirar parte de sua fuselagem para que a Tsar, que pesava 25 toneladas e media mais de 8 metros, pudesse ser transportada.

Detonação histórica

 

 

O local escolhido para o teste foi uma ilha localizada no Ártico chamada Nova Zembla, e uma vez detonada, a Tsar Bomba provocou uma onda de choque poderosa o suficiente para circular o nosso planeta três vezes e quebrar as janelas de um edifício a 900 quilômetros de distância na Finlândia. Além disso, a explosão pôde ser vista a mil quilômetros do local do teste, e o raio de destruição chegou a 35 quilômetros.

Todas as casas e edifícios localizados em um vilarejo abandonado da ilha — a 55 quilômetros do local da explosão — foram completamente varridos e a superfície do local ficou completamente plana. Além disso, a nuvem de cogumelo produzida pela detonação chegou a 60 mil metros de altura, e o calor gerado pela bomba poderia provocar queimaduras graves a quem estivesse a 100 quilômetros de lá.

Felizmente, a Tsar Bomba serviu apenas como demonstração de poder e, até onde se sabe, nenhum dispositivo semelhante foi construído no mundo.

 

Um comentário

  1. COBRA-KAMPAS

    31 de julho de 2013 em 13:02

    os russos eram muito louco mesmos… parece que na história eles sempre criaram o maior…. maior avião, a maior bomba, o maior lançador… custe a que custar.
    a bomba a cima é um excelente exemplo… construiram a maior bomba atômica, gastaram um puta material para fazer isso [na época era bem difícil fazer uma bomba dessas] e foda-se o soldado q fosse lançar…
    quem tiver curiosidade… procura o avião de carga antonov

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

TV 8K da Sony ‘ideal para PS5’ chega ao Brasil com 75″ e preço de carro

Modelo já está disponível para comprar no site oficial da marca A Sony começa a vender a n…