Uma substância chamada modafinila pode aumentar violentamente a capacidade de resistência dos soldados e já vem sendo utilizada pelos EUA desde a Guerra do Iraque.

Supersoldado

Você também pode ouvir William Saletan ler esta peça.

A corrida armamentista é uma das maneiras mais tristes de desenvolvimento tecnológico que existe no planeta. Trata-se da aceleração dos estudos e dos investimentos em tecnologia a fim de desenvolver recursos que possam ser utilizados em algum tipo de guerra. Mesmo assim, cientistas em todo o mundo ainda trabalham em maneiras de conseguir obter algum tipo de fórmula para transformar os combatentes em verdadeiros supersoldados.

As últimas pesquisas que buscam o “Capitão América” da vida real são feitas no sentido de combater a fadiga dos combatentes. A intenção é produzir uma substância que permita que os soldados excedam os limites de resistência regular humana e possam permanecer muitas horas sem que o corpo precise repousar. Em outras palavras, o superpoder que estamos mais próximos de alcançar é “não precisa dormir”.

As pesquisas que mais têm dado resultado nessa área são realizadas com uma droga chamada modafinila e são abertamente apoiadas e supervisionadas por agências militares (sem aquele papo de “experimentos ultrassecretos”). Como de costume, os Estados Unidos lideram as pesquisas dentro dos laboratórios de suas forças aéreas, seguidos de perto pelos exércitos de Canadá, China, Índia e França.

Testes hipotéticos ou reais?

A modafinila foi testada em pilotos de helicópteros e de caças em simulações de missões envolvendo bombardeios de alvos intrusos e patrulhas de territórios aéreos e marinhos. Em todas as situações, a droga estendeu imensamente a capacidade de concentração e o tempo que os soldados conseguiram se manter ativos, sem precisar de descanso. Vale mencionar que os Estados Unidos já utilizam a substância em campos de batalha desde seu conflito com o Iraque, em 2003.

Para conservar o corpo ativo por mais tempo, a modafinila mantém normais os níveis de atenção e dos demais atributos que vão decaindo conforme o corpo atinge estágios de grande fadiga. Isso significa que a droga não cria supersoldados com poderes especiais como aparecem nos quadrinhos e nos filmes mais recentes de Hollywood. O que acontece é que a pessoa consegue se manter plenamente ativa e não dormir por alguns dias e noites a fio.

Qual seria a aplicação dessa descoberta na melhoria das condições das pessoas comuns? A princípio nada foi indicado pelos donos da descoberta. O uso da droga é apenas militar, a fim de forçar que ninguém durma em batalha, a não ser na hora do derradeiro descanso…

Fonte: megacurioso via Slate

Um comentário

  1. [COBRA] Kampas

    9 de junho de 2013 em 11:52

    bom descobriram a morfina como um “super analgésico”… deu o que deu… um bando de soldado com os membros amputados viciados nessa merda…
    vai saber no que isso vai dar…

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Valorant está FRITANDO Placas de VÍDEOS!

Anti-cheat de VALORANT queimando placas de vídeo no PC? Entenda! anguard, o anticheat de V…