xbox 720
O site vgleaks.com diz ter revelado com exclusividade mundial as especificações do próximo Xbox, de nome código Durango. Apesar de não haver obviamente nenhuma sustentação oficial para a informação, elementos chave das especificações vão ao encontro da linha geral do equipamento que recebemos de fontes confiáveis, e quem revelou isto apresentou provas sobre as origens da informação – e parecem ser genuínas.

Primeiro, vamos começar com os elementos da especificação que definitivamente sabemos que é verdade: o Durango tem um processador de oito núcleos da AMD rodando a 1.6GHz, tal como o seu próximo concorrente o PlayStation – o Orbis. Como publicado ontem, estes dados são baseados na nova tecnologia PC da AMD, a Jaguar – construída para portáteis ou tablets. Os processadores Jaguar iniciais para o PC são configurados em um arranjo quad-core – isto duplica para ambos os próximas consoles.

No Durango, o processador é casado com 8GB de memória DDR3, em sintonia com 32MB de algo chamado de “ESRAM” – RAM rápida ligada diretamente à placa gráfica. Duas memórias operam em paralelo, e apesar de não termos confirmado a largura de banda geral, o sinal de 170GB/s da informação certamente parece plausível. Também é interessante no esquema da RAM que a ESRAM não está apenas ligada ao núcleo gráfico como no caso dos 10MB de eDRAM do Xbox 360 – no Durango, é ligado entre todos os principais componentes internos, significando que oferece acesso geral a outros componentes em adição ao núcleo gráfico.
91
As informações do Durango enquadram-se de perto com as nossas fontes, e oferece algum detalhe novo em termos do núcleo gráfico e dos elementos de entrada/saída da máquina.

Essas informações também oferecem uma confirmação semelhante ao Orbis que o núcleo gráfico parece – pelos valores frontais – significativamente mais poderoso que a placa gráfica no Durango. As nossas fontes sugerem que o Orbis oferece 18 unidades computacionais Radeon GCN a 800MHz. A informação enquadra-se com rumores mais velhos que sugeriam que o Durango tem apenas 12, rodando na mesma velocidade. Tendo em conta as métricas do pico de performance, existe um claro déficit entre os 1.23 teraflops do Durango, e os 1.84TF do Orbis.

A fonte também aborda os três módulos misteriosos de acelerador de equipamento que mencionamos. Descobrimos que um deles cobre o áudio (incluindo tecnologia de cancelamento de eco para o Kinect), enquanto outro parece ser um codificador de vídeo por equipamento acelerado – isto é interessante pois achamos que a nova informação sugere uma entrada HDMI como parte do design, não só como saída. Na teoria, os usuários poderiam gravar os seus programas de TV, ou importar as suas gravações de câmara diretamente para o Durango. É uma inclusão espantosa, sugerindo que a Microsoft está mesmo investindo fortemente nas mídias do aparelho. O módulo de equipamento final é o mais misterioso, simplesmente com o nome “Data Move Engines” para o qual não temos nenhum dado adicional.

Outros elementos das especificações revelam algumas surpresas positivas. O Kinect parece ter a sua própria entrada dedicada, sugerindo que problemas introduzidos pelo uso de USB no 360 podem ser mitigados. O fato de existir uma entrada sugere que o sensor vai permanecer sendo uma unidade separada e distinta que se junta ao console. As entradas USB em si são atualizadas para o padrão 3.0 – bom para transferir arquivos de mídia e para altos níveis de arquivos de dados de jogos. Um grande disco rígido está incluído como padrão (as nossas fontes sugerem um mínimo de 500GB) enquanto um drive Blu-ray 6x também é promissor, suportando discos de 50GB de dupla camada. As funcionalidades de rede ocorrem com uma rápida entrada Ethernet gigabit, com suporte WiFi e WiFi Direct.

Então a questão do momento é, até que ponto são verdadeiras essas informações? Baseado nas nossas comunicações com quem revelou as informações, os dados parecem genuínos – a única questão real é o quão recentes são. A prova apresentada pela fonte sugere que os dados tem quase nove meses: pesando quanto tempo demora para se criar um console, as probabilidades são que não vão ocorrer muitas mudanças até o lançamento.

Uma completa lista de funcionalidades do Durango.

Unidade central de processamento:

Arquitetura x64
Processador com oito núcleos rodando a 1.6GHz
Cada tópico de processador tem a sua cache de instrução 32 KB L1 e cache de dados 32 KB L1
Cada módulo de quatro núcleos do processador tem uma cache de 2 MB L2 resultando num total de 4 MB de cache L2
Cada núcleo tem um tópico de equipamento completamente independente sem recursos de execução partilhados
Cada tópico de equipamento pode comandar duas instruções por relógio

Núcleo gráfico:

Processador gráfico de 800-MHz de classe D3D11.1
12 núcleos shader que providenciam um total de 768 tópicos
Cada tópico atua numa operação de multiplicação e adição por escala (MADD) por ciclo de relógio
No pico de desempenho, a placa gráfica pode efetivamente empregar 1.2 milhões de operações por segundo
Sensor de Interface Natural de Utilizador de Alta Fidelidade (NUI) sempre presente

Armazenamento e memória:

8GB de DDR3 RAM (largura de banda de 68GB/s)
32MB de rápida SRAM (ESRAM) (102GB/s)
Da perspetiva da placa gráfica as larguras de banda de memória do sistema e ESRAM são paralelas providenciando um pico de largura de banda de 170GB/sec.
Disco rígido está sempre presente
Drive Blu-ray 50GB 6x

Rede:

Gigabit Ethernet
WiFi e WiFi Direct

Aceleradores de equipamento:

Motores de movimento
Codificadores de imagem, vídeo e áudio
Equipamento de cancelamento de eco multicanal para o Kinect (MEC)
Motores criptográficos para encriptação e desencriptação, e hashing

Fonte:Brasilgamer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Juíza nega recurso da Sony e empresa é obrigada a desbanir PS5 em SP

Sony alega que usuária teria abusado da PS Collection, mas juíza indefere recurso. Uma das…