Mortes causadas pelo vício em jogos têm sido cada vez mais comuns

A indústria de jogos parece sofrer com número recorde de gamers que morrem jogando seus títulos preferidos, afetados por algum tipo de vício. Veja uma lista de alguns dos casos mais marcantes, além de dicas de como reconhecer os sinais para evitar esse tipo de tragédia.

Khan, bebê americano de duas semanas: atrapalhou maratona de games do pai

Khan, um bebê americano recém-nascido de duas semanas foi morto pelo pai, Brian Frazier, de 20 anos, através de um soco no rosto. Brian jogava videogame e o filho acordou chorando, o que atrapalhou a maratona do pai. O golpe foi dado para que o bebê voltasse a dormir. Cerca de nove horas depois, os pais do menino perceberam que Khan havia falecido.

Brian Frazier e Stefany Ash, presos pela morte do filho (Foto: Player Attack) (Foto: Brian Frazier e Stefany Ash, presos pela morte do filho (Foto: Player Attack))
Brian Frazier e Stefany Ash, presos pela morte do filho

Brian e a mãe da criança, Stefany Ash, que também têm outro filho, já haviam sido visitados pelo departamento de serviço social da Carolina do Norte, estado americano onde vivem. Os assistentes condenaram as condições que as crianças estavam vivendo.

Tailandês anônimo, 24 anos: privações básicas

Este foi um dos casos mais recentes. Um tailandês, que não teve seu nome revelado, foi encontrado pela polícia, morto em frente ao seu computador. Segundo um dos oficiais, o jovem constantemente fazia maratonas de jogo, muitas vezes trocando horas de sono por madrugadas no computador.

Polícia tailandesa em frente à casa do jovem (Foto: Daily News)
Polícia tailandesa em frente à casa do jovem

Privação de sono, não raro, é acompanhada também por falta de pausas para se alimentar e beber água, gerando desidratação. Em conjunto ou sozinhos, todos são uma receita simples para causar uma tragédia.

Taiwanês Liu, 48 anos: morto em uma lan house

Homem de Taiwan morre após maratona de games (Foto: Divulgação)
Homem de Taiwan morre após maratona de
games 

Um homem de 48 anos foi encontrado morto em um cibercafé, na cidade de Kaohsiung, Taiwan, depois de uma maratona de games de sete horas, quando caiu sobre o teclado. As pessoas em volta tentaram reanimar, sem sucesso, o jogador. Quando os médicos chegaram ao local, o gamer já havia falecido. A equipe do cibercafé informou que o homem jogava regularmente no local, sempre em sessões de dez horas.

Taiwanês Chuang, 18 anos: problemas cardiovasculares

Muitos devem se lembrar do caso Russel Shirley, um americano de 32 anos que teria morrido jogando Diablo 3 por três dias seguidos, mas que no fundo era apenas uma brincadeira. Porém, um caso semelhante ocorreu em Taiwan, com um jovem identificado apenas pelo sobrenome Chuang.

A primeira morte causada por Diablo 3 foi uma brincadeira, mas logo se tornou real (Foto: Divulgação)
A primeira morte causada por Diablo 3 foi uma brincadeira, mas logo se tornou real

Ele reservou uma sala privada em um cibercafé onde jogou por dois dias seguidos, sem pausas para comer. Quando foi encontrado, ele estava apenas dormindo. A atendente do estabelecimento o acordou, ele deu alguns passos e desmaiou. Já havia falecido antes de chegar ao hospital.

Acredita-se que ele tenha sido vítima de problemas cardiovasculares por passar horas demais em uma posição sedentária. Sempre é recomendado fazer intervalos de 15 minutos entre cada uma ou duas horas de jogo, algo raramente seguido, mas em casos extremos, basta usar um pouco de bom senso.

Chinês anônimo: exaustão

Este é um dos casos mais misteriosos. Em 2007, um jogador chinês anônimo entrou em um cibercafé e jogou por três dias seguidos apenas com pausas para necessidades básicas. Após essas 72 horas, o homem simplesmente caiu morto em frente ao computador por exaustão. Ele nunca foi identificado, nem mesmo sabemos sua idade.

Cibercafés são especialmente populares para jogos em países como China e Coreia do Sul (Foto: Divulgação)Cibercafés são especialmente populares para jogos em países como China e Coreia do Sul 

Mesmo mantendo algumas das necessidades básicas do seu corpo, ele pode estar cansado demais para levar a sua maratona de jogos adiante. Nestes casos, o vício pode mascarar sintomas e sinais de que algo está errado, impedindo que a própria pessoa pare antes de ter problemas sérios.

Xiao Yi, 13 anos: dissociação da realidade

Enquanto as maratonas de jogos são os casos mais comuns de mortes envolvendo games, há ainda outros efeitos que a exposição prolongada pode causar. O jovem chinês Xiao Yi suicidou-se ao pular do telhado de um prédio de 24 andares, deixando um bilhete onde dizia que esperava se reencontrar com seus amigos de World of Warcraft no pós-vida.

Online Gamers Anonymous é um programa de auxílio a viciados em jogos criados por Liz Moolley (Foto: Divulgação)
Online Gamers Anonymous é um programa de auxílio a viciados em jogos criados por Liz Moolley 

Um caso semelhante aconteceu nos Estados Unidos, com o suicídio de Shawn Woolley. Sua mãe, Liz Woolley, acredita que o isolamento e o excesso do MMORPG EverQuest possam ter sido a causa. Ela fundou a Online Gamers Anonymous, um grupo de apoio para viciados em jogos, semelhante ao Alcoólicos Anônimos.

A dissociação do mundo real pode ocorrer especialmente em mentes jovens e nas mais vulneráveis, sendo recomendado o acompanhamento de um adulto responsável para dosar o tempo de jogo e o foco das atividades.

Dinh The Dan, 13 anos: comportamento violento

Nem sempre mortes causadas por vícios em videogame são do próprio gamer. No caso de Dinh The Dan, o jovem vietnamita afirmou estar tão transtornado por não ter dinheiro para jogar online que sufocou uma senhora de 81 anos com uma corda para roubá-la, enterrando o corpo na areia do quintal de sua casa. Por ser menor de idade, ele apenas foi enviado para um centro de reeducação para tratamento.

A abstinência de jogos, offline ou online, não deve ser motivo para raiva (Foto: Divulgação)
A abstinência de jogos, offline ou online, não deve ser motivo para raiva

Se períodos de abstinência de jogos deixarem jovens irritadiços e até mesmo violentos, é um claro sinal de que há uma obsessão não saudável no relacionamento deles com os games. Neste caso, o procedimento ideal é procurar um médico.

Chris Staniforth, 20 anos: coágulo no sangue

Chris Staniforth (Foto: Reprodução)

Chris Staniforth

O jovem britânico faleceu com coágulos no sangue após ficar jogando seu videogame, um Xbox, por 12 horas a cada sessão. O jovem sofreu um bloqueio pulmonar quando desenvolveu uma trombose venosa profunda.

Chris Staniforth começou sentido dores no tórax e acordar no meio da noite com uma “sensação estranha” no peito e uma frequência cardíaca incrivelmente baixa. Então, em um dia ele sofreu essa dor de forma muito mais violenta, caindo para trás e sofrendo espamos. Uma amigo quando o viu, chamou uma ambulância, mas os paramédicos não conseguiram salvá-lo.

Fonte: techtudo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Novo iPhone pode ser lançado dia 13 de outubro, sugerem fontes.

A Apple pode estar próxima de lançar o novo iPhone 12 no dia 13 de outubro. A informação é…