Na noite desta segunda-feira, um homem foi preso em São Paulo após sacar R$87.500 de um caixa eletrônico. O dinheiro, obviamente, não era dele. Semana passada, aconteceu um caso semelhante: dois homens foram presos após sacarem R$7.000 de um caixa eletrônico em Taquaritinga (SP).

O elo em comum entre os dois casos: eles usavam apenas um teclado e um pendrive para roubarem o dinheiro. Nada de armas, nem explosivos, nem “chupa-cabra” de cartões.

À medida que a segurança física dos caixas eletrônicos aumenta, os bandidos procuram outras formas de invadi-los. Não adianta explodir o caixa, pois ele mancha as cédulas de rosa – e ninguém vai aceitá-las. Arrancar o caixa para desmontá-lo em outro lugar também é complicado: eles são posicionados em locais visíveis, e as empresas estão investindo em cofres mais resistentes dentro desses caixas. E assaltar usuários rende pouco, já que existe um limite máximo de saque.

Por isso, as falhas de software começam a ganhar mais importância. Em 2010, o pesquisador de segurança Barnaby Jack já mostrava como é possível transformar caixas eletrônicos em máquinas caça-níqueis – e em Las Vegas, não menos. Algumas exigem acesso ao hardware, outras podem ser controladas via acesso remoto, mas com o software certo é possível invadi-las.

Segundo a Agência Estado, o assalto em São Paulo ocorreu da seguinte forma: o criminoso inseriu o pendrive em uma entrada USB (onde fica a câmera da segurança da máquina); e o controlou através de um teclado dobrável de notebook. Um dos policiais diz que o criminoso reiniciou a máquina e digitou os valores das notas que queria sacar: “primeiro as de cem, depois as de cinquenta e assim por diante”. Ele recebia as instruções de um comparsa através do celular.

Mas a ganância acabou condenando o suspeito: ele demorou muito no caixa, então a central de monitoramento que faz a segurança da agência chamou a polícia. O homem foi autuado em flagrante por furto qualificado.

O outro caso é bem semelhante. Segundo o G1, dois homens em Taquaritinga inseriram um pendrive no caixa eletrônico, “com um programa que permitia a eles acessar o banco de dados das máquinas”. Conectando um teclado ao caixa, era só digitar a quantia a sacar, e o dinheiro era liberado.

Um morador viu o que acontecia e chamou a Polícia Militar. Com a dupla, foram apreendidos R$ 7.000, um alicate, cinco celulares, um fone de ouvido, um teclado e um pen drive. Eles foram levados para a cadeia de São Carlos (SP).

À medida que estes casos se multiplicam, os bancos terão que prestar mais atenção ao software dos caixas eletrônicos – que, muitas vezes, é um Windows XP com um pouco mais de segurança (versão Embedded), e que pode ser acessado por USB. Os roubos a caixas eletrônicos prometem se tornar cada vez mais digitais.

Fonte:  Agência Estado/Info e G1

4 Comentários

  1. COBRA_KAMPAS

    5 de dezembro de 2012 em 11:31

    criatividade é foda… podiam usar para alguma coisa construtiva….

    Resposta

    • COBRA_KAMPAS

      5 de dezembro de 2012 em 11:31

      eh… talvez estavam juntando uma grana para construir alguma coisa util

      Resposta

      • COBRA~KABANNA

        5 de dezembro de 2012 em 16:43

        Seria então um Robin Hood

        Resposta

        • COBRA_KAMPAS

          6 de dezembro de 2012 em 17:51

          boa…
          não é o caso né!

          Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Piloto consegue pousar avião partido ao meio em Denver, nos EUA

Um piloto conseguiu uma façanha digna de filmes de ação na última quarta-feira (12). Ainda…