Procon-SP divulga lista com mais de 200 sites de comércio eletrônico trambiqueiros.

Mais de 200 empresas devem ficar de fora da sua próxima compra. O Procon de São Paulo divulga nessa semana uma listagem com páginas de comércio eletrônico que estão longe de inspirar confiança nos consumidores. Dessa forma, o órgão espera ajudar o internauta no momento em que faz pesquisa de preços e produtos para compra.

Essa não é a primeira vez em que o Procon-SP demonstra preocupação com o comércio eletrônico. Na semana passada, quando ocorrida a liquidação “Black Friday”, notificou sete lojas, algumas com representação online: Americanas.com, Extra (tanto loja física quanto virtual), Fast Shop, Ponto Frio, Saraiva, Submarino e Wal-Mart.

De acordo com o órgão, a listagem de mais de 200 lojas virtuais das quais o consumidor deve manter distância está amparada em reclamações de clientes, principalmente a falta de entrega do produto adquirido. O Procon-SP tentou contato com as lojas, inclusive a partir de dados presentes na Junta Comercial, na Receita e no Registro.BR antes de inclui-los na lista.

O documento informa o endereço do site (URL), responsável por ele, o CNPJ ou CPF do vendedor, a situação da página e a data de inclusão nos registros do órgão. Veja abaixo a lista completa.
Procon-SP: Sites não recomendados

[button link=”https://www.clancobra.com.br/wp-content/uploads/114750827-Procon-SP-Sites-nao-recomendados.pdf” size=”small” style=”download” window=”yes”]Baixe em PDF[/button]

A atuação da entidade não se limita a listar as lojas virtuais problemáticas. “Denunciamos os casos ao Departamento de Polícia e Proteção a Pessoa (DPPC) e ao Comitê Gestor da Internet (CGI), que controla o registro de domínios no Brasil”, diz o diretor-executivo Paulo Arthur Góes.

Fonte: tecnoblog

Um comentário

  1. Jonas

    6 de dezembro de 2012 em 13:45

    Essa lista aí tá esquisita, cadê a Americanas.com que não tá na lista? É a que mais da golpe nos consumidores, vende sem ter o produto, têm pessoas que ficam esperando mais de 4 meses e não recebem o produto. Lastimável!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

YouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTok

Em fase de testes, YouTube Shorts está disponível somente para usuários de Android na Índi…