A Black Friday é um evento anual nos EUA onde lojas oferecem descontos enormes no preço de vários itens. Uma grande festa do consumismo! Embora tenhamos a nossa versão (capenga) da Black Friday, nada melhor do que a original, certo? Mas como aproveitar aqueles descontos da terra do tio Sam sem sair do Brasil?

O grande problema é que a maioria das lojas norte-americanas não despacham para fora do país. Se no eBay já é relativamente difícil encontrar vendedores dispostos a mandar produtos para cá, em grandes lojas do varejo essa é uma missão quase impossível. Há exceções — a Amazon, por exemplo, manda filmes, livros (isentos de impostos) e Kindles (com impostos retidos na fonte) —, mas a regra geral é que, na hora da compra, você trava na hora de dar o seu endereço.

Existem meios de driblar essa limitação. E antes que alguém questione, não, não se trata de nada ilegal. Importando produtos dessa forma você muito provavelmente pagará os impostos devidos e outras eventuais taxas que a distância impõe. Além disso, é praticamente inviável comprar itens fisicamente grandes (o frete fica salgado). Mas trata-se da Black Friday: os descontos podem compensar, e a compra pode valer a pena.

Onde encontrar ofertas

Diversas lojas americanas fazem ofertas de Black Friday pela internet. O site BlackFriday.com reúne a maioria, e a lista é imensa: mais de 1.400 lojas especializadas em todo tipo de produto – incluindo as mais conhecidas por lá, como Best Buy, Newegg e Target. Este é um dos principais lugares para se encontrar ofertas de Black Friday: ajuda o fato do site exibir ofertas que só começam a valer na sexta-feira. A busca do site está longe do ideal, mas quebra um galho.

Gizmodo americano fez uma lista enorme de todas as ofertas de Black Friday que puderam encontrar. A lista é separada por produtos, e indica as melhoras ofertas. Você pode separar a lista por loja, salvar itens em sua wishlist, e fazer busca por nome e preço máximo. Mas fique atento: algumas ofertas são “In-Stores Only”, ou seja, só em lojas físicas nos EUA.

O The Verge também está reunindo as melhores ofertas de cada loja, e você pode conferi-las aqui. Assim como o Gizmodo, eles não colocam o link direto para cada produto: você precisa ir ao site da loja e buscá-lo.

Mas o esforço pode valer a pena. Por exemplo, você pode levar:

– o laptop Toshiba L855-S5372 de 15.6″ com processador Core i7 por US$580 na Staples (ele custa pelo menos US$650);

– o tablet Samsung Galaxy Tab 2 7″ por US$178 na Sears (que custa mais de US$200);

– uma Canon T3 com lente kit por US$450 na Best Buy (ela sai por no mínimo US$500);

– um Xbox 360GB de 4GB com Kinect por US$180 na Fry’s (que custa pelo menos US$250);

e muito mais – basta procurar a melhor oferta para você.

OK, escolhi meus produtos, mas como vou enviá-los para o Brasil? Há duas formas principais de fazer essa importação:

1) Terceirizando a compra inteira

Alguns serviços fazem todo o trabalho para você: compram o produto nos EUA e o enviam para um endereço aqui no Brasil. As opções mais conhecidas são o BoxBrazil e MercadoDireto.

É de longe a forma mais cômoda, mas também a mais cara. O preço do serviço de entrega não é dos mais baratos e o desembaraço na alfândega, mais impostos, dependendo do produto quase ultrapassa o seu valor. Fizemos uma simulação nos dois sites com um iPad, de US$ 499, e o preço chegou a R$ 1.869 (MercadoDireto, com 10% de desconto no pagamento via cartão internacional) e R$ 2.030,75 (BoxBrazil, pagamento no cartão nacional ou internacional).

Como em quase tudo na vida, você paga a mais pela comodidade. Há outra opção? Sim. Ela exige um pouquinho mais de trabalho da sua parte, mas felizmente mantém o que interessa: o envio dos produtos para cá.

2) Terceirizando a entrega

O grande empecilho de se comprar algo nos EUA é a entrega — como a maior parte das lojas não manda os pedidos para o Brasil, você fica de mãos atadas. É aí que entram sites como PuntoMio,MyUSShip2MeSkyBOX e Brazzusa: eles se encarregam apenas de receber e despachar o produto; a compra fica por sua conta.

leia + em http://www.gizmodo

2 Comentários

  1. [C.T.G] PANDA

    22 de novembro de 2012 em 13:38

    Grande hora para se ter dinheiro para comprar….

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Trabalhadores dos Correios prometem greve contra projeto de privatização da estatal

Funcionários dos Correios estão organizando a realização de uma greve para manifestar o po…