Será que “votar nulo” é mesmo a melhor forma de reivindicar?

O período eleitoral é composto por vários procedimentos, digitar alguns números, vê a foto do seu candidato e depois clicar em “confirmar” essa parte com certeza você e mais da metade da população sabe, mas… Não para por ai, no período eleitoral existe várias mentiras que são espalhadas e boatos que nunca foram verdades, vamos então listar alguns deles para que você possa exercer sua cidadania com consciência.

1. “No dia das eleições ninguém pode ser presso”

Verdade. Ninguém pode ser presso ao menos que haja um flagrante da pessoa condenada. No caso dos eleitores, a regra começa a valer cinco dias antes das eleições e vai até 48 horas depois. Já os mesários, fiscais de partido e candidatos têm liberdade garantida nos 15 dias anteriores ao pleito. O motivo é evitar o uso político das prisões e abusos de autoridade que possam influenciar o resultado da eleição. Por isso, as prisões preventivas e cautelares não voltam a acontecer até o meio da próxima semana.

2. “Você pode anular seu voto mais seu voto não anula as eleições”

a teoria, quem vota em branco diz “tanto faz” e quem vota nulo não quer eleger nenhum candidato. Na prática, os dois tipos de voto são considerados inválidos, ou seja, não são computados na contagem final. Isso quer dizer que, mesmo que 99% dos votos forem brancos ou nulos, a eleição não será anulada. A decisão ficaria na mão dos 1% dos eleitores que escolhessem votar em alguém. Mas quem vota branco ou nulo influencia no resultado de forma indireta: quanto maior a porcentagem de votos inválidos, menor é o número de votos que um candidato precisa para se eleger no primeiro turno. E o seu protesto vai embola pelo ralo.

 

3. “Qualquer documento com foto serve”

Não é mais necessário apresentar o título de eleitor na hora de exercer seu direito de cidadão. Basta apresentar um documento oficial com foto, como a identidade e a carteira de motorista ou de trabalho. Carteira de estudante não é considerada um documento oficial pelo TSE.

4. “Vereador não constrói NADA”

Na verdade a maioria deles não sabe nem o que é exercer a função que dizem saber preencher, exemplo de uma função é de ser “o construtor”, construirei metrô, quadras para lazer, praças, praia, lagos e o escambau, é mentira. Essas são atribuições do Executivo, ou seja, do prefeito. O que um vereador pode fazer é: elaborar e votar leis municipais, fiscalizar a utilização dos recursos públicos e ouvir as sugestões, críticas e reivindicações dos cidadãos, promovendo a ligação entre a sociedade e o prefeito.

5. “Nem sempre quem recebe o maior numero dos votos é eleito”

Isso acontece nas eleições para vereadores e deputados. Isso porque, no Brasil, o sistema usado nessas eleições é proporcional. Quando um candidato é muito votado, ele amplia o número de vagas a que o partido dele tem direito. Essas vagas são preenchidas por outros candidatos do partido, que muitas vezes conseguem menos votos do que outros que ficam de fora. Já nas eleições para prefeito, governador e presidente, só é eleito o candidato que tiver maioria absoluta dos votos válidos, ou seja, 50% mais um.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Empresa holandesa cria submarino para abrigar festas e raves para 120 pessoas a 200 metros de profundidade

Se você curte festas em iates e navios, prepare-se para a novidade: a balada pode aca…