Os funcionários não entraram em nenhuma área militar e não tiraram fotografias de nenhum objeto militar.

Bohemia-Interactive

O CEO da Bohemia Interactive já tinha comentado sobre a detenção dos seus funcionários na Grécia, esclarecendo que tudo não passava de um mal-entendido, mas agora, partilhou uma declaração oficial sobre a situação.

Cimentando que a detenção não passou de um mal-entendido, a Bohemia afirma que os factos são os seguintes: os dois funcionários visitaram a ilha como turistas, não entraram em nenhuma área militar, e não tiraram fotografias de nenhum objeto militar para ser usado em Arma 3.

“Eles tiraram fotografias e vídeos de áreas públicas, assim como muitos turistas que estavam a desfrutar a beleza e hospitalidade da Grécia. Estes incluem um pequeno vídeo enquanto conduziam pela rua principal em redor do aeroporto internacional, onde uma pequena parte do vídeo mostra à distância hangares e outros edifícios do complexo. É muito provável que muitos outros turistas tenham imagens semelhantes àquelas tiradas por Ivan e Martin (os dois funcionários) nos seus álbuns de família, sem terem consciência de que estão a por as suas famílias em risco,” foi explicado.

Também é deixado claro que, apesar de Arma 3 ser baseado na ilha de Lemnos, onde os dois funcionários foram detidos, está longe de ser uma representação idêntica.

Fonte: http://www.eurogamer.pt/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Amazon patenteia método para encontrar piratas de streaming

Técnica pretende identificar a origem do conteúdo vazado por meio de dados possivelmente i…