Apple e Samsung trocam acusações há mais de um ano, envolvendo patentes e design de celulares e tablets. Mas o maior julgamento nos tribunais começou esta semana na Califórnia. E já no primeiro dia, os advogados da Samsung deixaram a juíza Lucy Koh furiosa.

A Samsung queria falar do F700, um celular com touchscreen e um botão que ela teria desenvolvido antes do iPhone ser anunciado. Nós já falamos sobre ele: visto pela primeira vez em fevereiro de 2007, ele foi chamado de “iPhone da Samsung” devido às semelhanças.

Porém, há um prazo máximo para incluir provas no processo. Como a Samsung demorou demais, o F700 ficou de fora. Eles pediram diversas vezes para a juíza incluí-lo fora do prazo, mas ela negou.

Então, já no tribunal, a Apple mostrou rapidamente o F700 em um slide. Por isso a Samsung quis, mais uma vez, incluí-lo no processo: o principal advogado da Samsung, John Quinn, disse estar “implorando para o tribunal”. A juíza negou. Então a empresa resolveu divulgar slides sobre o aparelho – e sobre o protótipo “baseado” em produtos da Sony – para a mídia.

Os slides acompanhavam um texto curto, dizendo: “A prova excluída teria estabelecido sem dúvida que a Samsung não copiou o design do iPhone”. A juíza ficou furiosa ao ver a Samsung driblando sua ordem: ameaçou sancionar a empresa e pediu uma reunião com John Quinn. O processo continuou, mas a Samsung pode ter perdido alguns pontos com a juíza ao fazer isso.

O processo

Declaração de abertura: Para iniciar o processo, as partes apresentam sua defesa inicial. A Apple foi a primeira, mostrando uma imagem com aparelhos da Samsung antes e depois do iPhone. Antes, todos possuem botões físicos ou teclado QWERTY; depois, todos se tornaram apenas uma tela e um botão. Eles também mostraram um documento interno da Samsung dizendo que o iPhone é “fácil de copiar”.

Na vez da Samsung, a empresa mostrou diversos aparelhos minimalistas da Samsung criados ou demonstrados antes da Apple anunciar o iPhone pela primeira vez. A empresa também comentou cada patente da Apple, dizendo que outras empresas já haviam inventado a tecnologia de cada uma delas. Além disso, a Samsung disse que usava produtos da Apple para se inspirar, não para copiar – assim como a própria Apple, que criou um protótipo baseada numa descrição (bastante vaga) de um futuro celular da Sony.

Testemunha da Apple: O designer industrial Christopher Stringer, da Apple, foi a primeira testemunha do julgamento. Ele diz que esteve envolvido com todo produto lançado pela empresa desde 1995. A equipe de design “fica obcecada com cada detalhe”, e às vezes um mockup passa por 50 mudanças de um só elemento (como um botão) para ver qual fica melhor. Com o iPhone, eles queriam criar um “objeto novo, original e belo”, e Stringer não mede palavras: “nós fomos copiados”, dizendo que a Samsung é um dos casos mais notórios.

No tribunal, para esclarecer como a Apple cria seus produtos, Stringer mostrou 32 protótipos do iPhone que nunca viraram realidade, além de seis modelos do iPad. Os mais interessantes seguem abaixo; você pode ver todos neste link.

A Samsung deve chamar sua primeira testemunha hoje, e o processo judicial continua.

      

Fonte: gizmodo via The Verge

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Nova série da Netflix, Ares é tão assustadora que pessoas desistem de assistir em minutos

A produção é a primeira da Netflix na Holanda, e mostra uma seita de elite no meio de Amst…