O 4G começa a ganhar vida no país. Às 10 horas desta terça-feira, a Agência Nacional de Telecomunicações, Anatel, abre os envelopes com as propostas das operadoras pelas frequências da nova rede.

O governo vai leiloar 273 lotes de frequências do 4G. Eles serão disputados por seis operadoras – Vivo, TIM, Oi, Claro, Sky e Sunrise – esta última pertencente ao grupo de empresas do bilionário George Soros. Se todos os lotes forem vendidos pelo preço mínimo, o governo espera arrecadar cerca de 3,8 bilhões de reais. As operadoras deverão pagar ainda uma espécie de seguro como comprometimento que vão implementar as redes. Esse valor pode chegar a 16 bilhões de reais.

Assim que sair do leilão, as operadoras vencedoras devem começar a implementar as redes imediatamente. Tem um motivo: em abril de 2013, o governo exige que a infraestrutura de 4G já esteja funcionando em todas as sedes da Copa das Confederações. A ideia da Anatel é verificar a qualidade do serviço e deixá-la pronta para a Copa do Mundo 2014.

Se as teles conseguirem cumprir o objetivo, o 4G estará disponível para cerca de 18% da população brasileira. Depois disso, as teles terão até 2019 para levar o 4G para o restante do país.

ntena 4G: se tudo der certo, serviço começa a funcionar no Brasil em abril de 2013

Preços – O governo não estipulou um preço a ser cobrado pela conexão 4G. As operadoras que participam do leilão também não se arriscaram a dizer quanto podem cobrar por um pacote. Contudo, o serviço no Brasil deverá ser mais caro que o cobrado nos locais que já têm rede 4G.

Nos Estados Unidos, por exemplo, um pacote de dados 4G custa em média 70 reais. Na Europa, o preço é mais salgado: cerca de 150 reais.

Tecnologia – As frequências de 4G leiloadas pela Anatel vão operar na faixa de 2,5 GHz; e serão específicas para a tecnologia Long Term Evolution, conhecida como LTE. A tecnologia, uma evolução do 3G, é uma rede banda larga capaz de trocar dados a uma velocidade de 100 Mbps. E pode ser acessada por smartphones, tablets e computadores compatíveis.

Numa rede 4G, o usuário baixa um filme com qualidade de Blu-ray (com 25 GB tamanho) em cerca de 35 minutos. Numa rede 3G, o mesmo download demora quase 237 minutos – ou seja, um pouco menos de 4 horas. Os dois casos, vale dizer, levam em conta a velocidade nominal das duas tecnologias (100 Mbps para o 4G; e 14,4 Mbps para o 3G).

Os brasileiros que desejarem usar a rede, contudo, vão precisar comprar novos celulares. Os atuais iPhone e Android vendidos no país não são compatíveis com o 4G. O mesmo acontece para quem usa um modem 3G para acessar a internet do computador.

[ilink url=”http://info.abril.com.br/noticias/mercado/era-4g-comeca-nesta-terca-feira-no-brasil-11062012-36.shl”]Fonte:[/ilink]

Um comentário

  1. Jason Tricolor

    12 de junho de 2012 em 14:08

    A 3G mal funciona aqui no Brasil,imagina a 4G,vai ser uma merda também.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

Huawei deve lançar PC desktop com ‘chip de celular’ ARM

A Huawei está seguindo os passos de empresas como Apple e utilizando a tecnologia ARM na c…