O que acontece quando um jogo de alguma franquia é lançado a cada ano? Podemos dizer que com o passar dos anos ela vai decair. Mas aí vemos que a série Call of Duty tem se tornado bem bem-sucedida, apesar da ausência de grandes saltos gráficos ou inovação do design de jogo.

imagem

No entanto, algo aconteceu que pode mudar tudo isso.A Activision anunciou oficialmente Call of Duty: Black Ops 2, que está agendado para lançamento em novembro deste ano. O primeiro título Black Ops contou uma história usando aGuerra Fria como pano de fundo. Como o título sugere, os jogadores estavam entrincheirados em atividades secretas, operações encobertas. A Guerra Fria era um cenário perfeito para um jogo, mas o que acontecerá com Black Ops 2?

Black Ops 2 não se passa durante a Guerra Fria, pelo menos não aquela que conhecemos. Esta sequência é ambientada em um futuro próximo, 2025 para ser exato, onde uma força inimiga assumiu sistemas não-tripulados do exército dos EUA. O salto no tempo é uma premissa interessante para dizer o mínimo, mas certamente não é desconhecida por nós.

imagem

Seis anos atrás, uma outra série de tiro em primeira pessoa deu um salto para frente no tempo. EA e DICE presenteou o mundo com Battlefield 2142, um moderno sci-fi. Da mesma forma, o Ghost Recon da Ubisoft sempre teve um foco no aspecto de tecnologia de ponta e guerra contemporânea.

Desenvolvedores da Treyarch são notoriamente conhecidos como os produtores “cópias” dos títulos de franquia principal. É muito corajoso, e certamente recomendável, para o estúdio dar um passo tão grande ao futuro. Mas por que agora? Por que Black Ops 2? Call of Duty como uma série é conhecida por ser, também, histórica. Enquanto os jogos Modern Warfare refletem sobre guerras contemporâneas. Por que não simplesmente ficar com a mesma fórmula?

imagem

O primeiro Black Ops foi um enorme sucesso, tanto para a Activision quanto para a Treyarch, onde milhões literalmente correram para pegar o jogo em novembro de 2010. Depois disso, a Infinity Ward com MW3 passou a quebrar recordes de vendas, quebrando os números de estreia de seu antecessor. Infelizmente, ainda não conseguiu superar Black Ops, ficando para trás nas vendas nas semanas seguintes pós-lançamento.

Então, o que está acontecendo? Simplificando, Call of Duty está perdendo força. Desde o lançamento de Modern Warfare, a série tem feito pouco para melhorar o gênero FPS. Cada jogo ofereceu exatamente o mesmo tipo de experiência, e a maioria dos fãs da série simplesmente não vão comprar o jogo por sua campanha relativamente curta. Cinco a seis horas de tiros não valem a pena o preço que o jogo é vendido.

imagem

Não vamos esquecer que Black Ops 2 vai ter concorrência muito feroz: Halo 4,Ghost Recon: Future Soldier e Ghost Recon Online, os quais serão lançados muito mais cedo, e o último dos quais é um jogo de tiro “grátis” para jogar on-line, um módulo de distribuição que tem rapidamente ganhado força na indústria.

Treyarch e Activision estão tentando dar vida nova no gênero de tiro militar, mas se Black Ops 2 acabar por ser a mesma coisa, com uma nova camada de tinta de alta tecnologia, não será suficiente para salvar a franquia.

por Galaxy.News.Game, fonte: Gamingunion

 

Fonte: gamevicio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Call of Duty: Black Ops Cold War e Call of Duty: Modern Warfare foram os jogos mais vendidos de 2020 nos EUA

Domínio da Activision Blizzard mostra o quanto Call of Duty é a franquia de jogos mais for…