O esforço da Band em trazer o programa “Pânico” para a emissora já trouxe resultados. No programa de estreia, exibido nesse domingo (1º), o canal conquistou o segundo lugar de audiência e ficou empatado com a Rede Record.

De acordo com a coluna “Zapping”, do jornal “Agora São paulo”, publicada nesta segunda-feira (2), o humorístico registrou 11 pontos no Ibope da Grande São Paulo. Já a RedeTV!, a antiga emissora da trupe, amargou apenas 1 pontinho.

Para levantar a audiência, eles trouxeram a presença da família que virou hit na internet com o refrão “Para nooossa alegria”, da socialite Val Marchiori e até de um mexicano que tem o rosto peludo.

 

Saiba tudo sobre o ‘Pânico na Band’

Líder da trupe do ‘Pânico na Band’, Emílio Surita avisa: melhor não esperar grandes reinvenções sobre o formato do humorístico que estreia neste domingo, às 21h (horário de Brasília, 20h em Manaus), ao vivo. Depois de nove anos como campeã de audiência da Rede TV!, a atração leva basicamente a mesma pegada — e a sua propagada irreverência — para a nova emissora.

“Trouxemos todo o nosso elenco para a Band, além dos diretores, editores e produtores. A gente não quer mexer em time que está ganhando e o programa será o “Pânico” de sempre. Mas é uma característica nossa mudar constantemente”, argumenta Surita.

Para o humorista, que define o “Pânico” como um “programa de atualidades”, a renovação vai acontecer de forma natural e gradual. “As coisas mudam, e o gosto do telespectador também. Acho melhor a gente até se ferrar de vez em quando por experimentar coisas novas do que ficar fiel a uma mesma cartilha. Queremos é ficar com a molecada. E nunca trair esse público”, frisa.

Surita admite os erros e acertos da atração, que já fabricou um sem número de polêmicas e precisou mudar de horário por conta da classificação indicativa na antiga emissora. “Claro que você erra ao procurar fazer um negócio diferente. E ninguém quer errar ou perder. Mas o humorista está muito sujeito a isso. A gente trabalha na base da tentativa e do erro”, aponta.

Nestes tempos em que os limites do humor parecem nunca sair da pauta e ganhar espaço a cada novo deslize de um comediante, Surita afirma que a patrulha contra o gênero ainda é grande. “Temos liberdade até a página 8. É assim em qualquer emissora. Você não pode chegar numa TV aberta e ir fazendo o que quiser. Existe uma série de compromissos, um patrocínio…”, diz.

Com uma verba de R$ 70 mil por programa — na Rede TV! eles tinham R$ 40 mil —, o ‘Pânico na Band’ apresentará na estreia alguns quadros inéditos e pelo menos um integrante novato. Saído do elenco do ‘Comédia MTV’, Guilherme Santana fará imitações de Otávio Mesquita e William Bonner, entre outras.

“Fui contratado quando eles ainda estavam na Rede TV! e cheguei a gravar. Mas, da noite para o dia, fiquei sabendo que a gente iria para a Band. Está sendo tudo novo mesmo. Na MTV, eu fazia esquetes e meu trabalho era mais de ator. Agora, irei cobrir eventos fazendo a sátira do Otávio Mesquita”, adianta Santana.

Anunciada em fevereiro, a troca de emissora do ‘Pânico’ foi motivada pelos constantes atrasos no pagamento dos salários do elenco na Rede TV!. “Não quero mais falar desse assunto e nem ficar batendo boca”, pede Surita.

A turma do programa já estava gravando conteúdo inédito desde janeiro para reestrear na antiga emissora em fevereiro, quando assinou com a Band por três anos. E teve que refazer tudo. “Aproveitamos algumas ideias e criamos coisas novas”, diz o líder do grupo.

Ainda entre as novidades, a atração trará um renovado time de panicats. As quatro novas assistentes de palco terão um perfil menos sarado do que as anteriores. “Elas estavam muito masculinizadas e agora terão um ar mais de ninfeta. Mas quem cuida desse departamento não sou eu”, brinca Surita.

A palavra final sobre as meninas que rebolam no palco usando biquínis minúsculos é do diretor Alan Rapp. Ele conta que, apesar das novidades entre as dançarinas, o ‘esqueleto’ do programa não irá sofrer nenhuma grande alteração. Sobre a audiência no novo canal, Rapp garante não criar qualquer tipo de expectativa. Mas acredita que o público fiel do “Pânico” irá migrar de emissora agora nas noites de domingo: “É a tendência natural. Mas na TV a maré muda o tempo todo, e prefiro não apostar”.

Para Rapp, uma coisa é certa: ‘Pânico’ e ‘CQC’ podem conviver harmonicamente no mesmo canal. E um não anula a pauta do outro. “Cada atração tem o seu mundo, como sempre foi. O nosso foco não é a política, mas o assunto não será ignorado”, promete Rapp, que também não teme mais um concorrente depois de estreia do ex-‘CQC’ Rafinha Bastos, prevista para maio, em seu antigo canal: “Concorrência estimula a criatividade”, diz.

De acordo com o diretor, Sabrina Sato continua sendo a ‘coringa’ da atração. E pode entrevistar políticos em Brasília ou fazer galhofa ao lado de celebridades em festas. Acostumado a fazer viagens internacionais, Rodrigo Scarpa, o Repórter Vesgo, irá carimbar ainda mais o passaporte em 2012. Depois de passar dez dias no México, ele foi para os Estados Unidos em busca de pautas inusitadas para o quadro que deve ser batizado de ‘O mundo em pânico’. Quem também visitou o país presidido por Barack Obama foi Daniel Zukerman, para gravar novas gravações de seu quadro, ‘O impostor’.

“Ele já está muito conhecido por aqui e precisou ir para fora para continuar com suas invasões”, conta Rapp.

Wellington Muniz, o Ceará, segue fazendo sua imitação de Silvio Santos. Já Márvio Lúcio, o Carioca, deixa de interpretar Jô Soares, mas continua com o seu Amaury Dumbo (sátira do apresentador Amaury Jr). E passa ainda a encarnar o jornalista Bóris Casoy, âncora do ‘Jornal da noite’, telejornal da Band.

“Não houve nenhum tipo de orientação sobre imitar ou não o elenco do canal. E vamos continuar brincando com os amigos da Globo. O público gosta”, explica o diretor da atração.

Entre os novos quadros do programa está o ‘Facetruque’, que pretende juntar casais nas baladas a partir do Facebook. Evandro Santo, o Christian Pior, e Daniel Peixoto, o Alfinete, serão responsáveis pela novidade.

“Vamos falar sobre como os seres humanos estão se relacionando nas redes sociais. É um quadro de namoro, em que tentamos juntar as pessoas. Mas tudo com a sacanagem, a pimenta e a malícia do ‘Pânico’”, define Santo, sem deixar claro se fazia piada ou não ao comentar a troca de canal: “Foi incrível. O salário aumentou”.

Dez quilos mais magro depois de uma dieta proposta pelo programa no ano passado, Marcos Chiesa, o Bola, será o titular no quadro ‘O maior arregão do mundo’, que irá testar a coragem do elenco do ‘Pânico’ em provas radicais.

“Para variar, eu só me lasco, né? Mas vamos botar os caras para encarar situações difíceis como levar um marcador de gado quente na perna”, exemplifica Bola, que também já gravou uma nova leva de matérias na praia ao lado de Eduardo Sterblitch, o César Polvilho.

No mais, Surita promete a mesma incorreção política de costume: “É isso que a molecada gosta de ver!”.

REPRISE  DO PROGRAMA 01/04/2012 às 21:00h:

Fonte: http://www.d24am.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Verifique também

YouTube lança plataforma de vídeos curtos para competir com TikTok

Em fase de testes, YouTube Shorts está disponível somente para usuários de Android na Índi…