Avaliação

PRÓS  Corpo fino; velocidade acima da média mesmo quando comparada à de outros HD com USB 3.0; permite o uso de adaptadores para outros tipos de conexão; os adaptadores podem ser utilizados em conjunto com outros HDs; funciona com Windows e Mac OS utilizando um

CONTRAS

  • Não vem com cabo USB 3.0.
  • Conector proprietário.
  • Baixo cache.
CONCLUSÃO  A linha GoFlex é provavelmente a série de HD externos mais flexível do mercado brasileiro; no caso específico do GoFlex Slim, a vantagem está no design consideravelmente mais portátil do que o de outros HD da linha;

Com 0,9 milímetro de espessura, o GoFlex Slim não se destaca apenas pela magreza. Ele é mais rápido que os HDs externos USB 3.0 comuns, pois trabalha em 7.200 RPM. Nos testes do INFOlab, a velocidade para gravação de dados medida pelo software HD Tune chegou a 88,1 MB por segundo. O drive sai da caixa pronto para funcionar em PCs com Windows e Mac. A desvantagem do modelo e o preço alto para HD de 320 GB.

A linha GoFlex não usa esse nome me vão. Um dos grandes diferenciais desses HD são os adaptadores removíveis que transformam a conexão SATA em várias outras portas. Por padrão, o GoFlex Slim vem com um adaptador para USB 3.0, que, enquanto o Thunderbolt não seduz o mercado, é conexão de propósito múltiplo mais rápida do mercado. Outros tipos de porta, como a FireWire e o eSATA devem ser adquiridos separadamente por 99 reais. Mas nada impede que o adaptador seja ligado na SATA de outro HD ou que o próprio drive seja ligado a qualquer cabo SATA com conector de 2,5 polegadas.

Graças a essa solução simples, não falta nada a esse HD em termos de conexões físicas. Imagine, por exemplo, que você tem um notebook velho e precisa de uma forma simples e rápida de transferir os arquivos para outro computador. Basta remover o HD do notebook e plugar o adaptador de USB 3.0 do GoFlex Slim nele. Enquanto os arquivos estão sendo transferidos, o GoFlex Slim em si pode ser plugado no SATA de outra máquina.

A superioridade do HD de 7.200 RPM e da porta USB 3.0 ficaram evidentes no nossos testes. Começando com as medições de tempo de escrita pela USB 2.0, o benchmark HD Tune mensurou uma boa taxa média de 25,2 MB/s. Como era de se esperar, o movimento de dados deu-se ainda mais rapidamente pela USB 3.0, com uma média de gravação de 88 MB/s, uma marca excelente. Com efeito, em ambas as situações o GoFlex Slim foi um dos mais rápidos HD externos já testados no INFOlab. Ainda assim, é bom lembrar que o gargalo de velocidade está no HD em si e não na USB. Se essa mesma conexão fosse utilizada em conjunto com um SSD, as taxas de transferência registradas seriam muito superiores.

No entanto, o uso de SSD provavelmente limitaria ainda mais o já escasso espaço interno do GoFlex Slim. 320 GB é pouco para os 350 reais que estão sendo cobrados. Na verdade, esse drive vem de loja já ocupado por 22 GB de arquivos, o que reduz ainda mais o espeço disponível. Felizmente, cada um desses bytes tem a sua utilidade. O aplicativo central do HD é o Seagate Dashboard que facilita a vida dos usuários ao disponibilizar funções como backup, criptografia de dados e sincronia de arquivos em uma interface simples. Como se os adaptadores não proporcionassem flexibilidade suficiente, há ainda um cliente de servidor online, pelo qual o usuário pode enviar imagens para a internet.


Mas a parte mais interessante do Seagate GoFlex Slim em termos de software é a forma como ele trata o sistema de arquivos. Os sistemas operacionais Windows e Mac OS utilizam sistemas de arquivos diferentes(NTFS e HFS+, respectivamente), o que, a princípio, impede que um sistema “leia” o que está escrito nos arquivos do outro. A solução mais convencional para solucionar esse problema é produzir drives que utilizam um sistema de arquivos mais simples: o FAT32, que é extremamente popular entre os pen drives. No entanto, esse sistema não é adequado para discos rígidos porque, entre outros problemas, o tamanho máximo de cada arquivo em FAT32 é 4 GB. A Seagate escolheu um caminho mais complexo e formatou o GoFlex Slim em NTFS. Mas os usuário de Mac OS não precisam se preocupar. Por meio de drivers, o GoFlex Slim dá acesso total de leitura e escrita tanto aos sistemas baseados em NTFS quanto aos baseados em HSF+. Tudo que o usuário precisa fazer é passar por um processo simples de instalação.

A característica que mais distingue o GoFlex Slim dentro da linha GoFlex são suas dimensões físicas. Medindo 7,8 x 12,4 x 0,9 cm, esse HD tem o tamanho aproximado de um smartphone, o que garante que ele vai caber no seu bolso (pelo menos literalmente). Outro ponto positivo é o peso de apenas 160 g. Mas de pontos positivos esse drive está cheio: não fosse o preço elevado, o GoFlex Slim seria irrepreensível.

Fonte: http://info.abril.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Demanda por GPUs para mineração de Ethereum caiu, segundo fabricante ASRock

Repressão no mercado chinês está sendo sentido O crash das criptomoedas em maio e a repres…