A Canonical avisou que o Ubuntu para Android chegou. Mas calma lá, não estamos falando de um aplicativo, e muito menos de um sistema operacional que fique dentro… de outro sistema operacional. O que a Canonical quer é mostrar que a proposta de webtop e lapdock criada pela Motorola tem mais futuro do que nós imaginamos.

Assim como a tecnologia da Motorola, é preciso um smartphone compatível com a tecnologia de plugar um aparelho para usá-lo como motor de um computador. Mas a diferença gritante é que, diferente do webtop, que trazia apenas um Firefox para a telona e limitava as opções, o Ubuntu para Android leva o sistema todo para a tela. Como descrevem os chapas do Gemind:

A integração entre os dois ambientes, promete a empresa, deve ser bem harmoniosa. Quando em trânsito, o smartphone deve se comportar como um Android qualquer. Ao ser conectado à dock, ele vira o Ubuntu e traz, de carona, aplicativos, contatos e recursos, como SMS e ligações, do Android. Dá para ler e responder mensagens e até atender chamadas na interface desktop.

Mas, claro, nem tudo são flores por aqui. Em primeiro lugar, não pense que um aparelho humilde dará conta de tantas informações: o Ubuntu para Android é limitado para smartphones com processador de dois núcleos e com no mínimo 1 GHz de processamento, 512MB de RAM, aceleração de vídeo e portas HDMI e USB. E, para completar, ele não será instalável — a ideia da Canonical é que aparelhos sejam vendidos com o sistema pré-instalado.

Além de tudo isso, o The Verge viu a demonstração da Canonical com um Atrix 2 e achou os apps do Ubuntu lentos demais. Mas, segundo a Canonical, é exatamente por isso que o sistema será usado apenas em aparelhos pré-instalados: é preciso otimizar o smartphone para que ele consiga aproveitar o máximo do sistema.

Muitas restrições para um sistema aberto, mas esse pode ser só o começo de uma evolução interessante de um formato que ainda acreditamos que, em boas e espertas mãos, ainda pode ser um novo caminho na computação. Enquanto isso, veja o sistema em funcionamento no vídeo abaixo. [Ubuntu para Android via Gemind e The Verge]

Fonte: http://www.gizmodo.com.br [Ubuntu para Android via Gemind e The Verge]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Demanda por GPUs para mineração de Ethereum caiu, segundo fabricante ASRock

Repressão no mercado chinês está sendo sentido O crash das criptomoedas em maio e a repres…