Apesar de as maiores suspeitas sobre o ataque à PlaySttaion Network sejam associadas ao processo em tribunal iniciado pela Sony contra o hacker George “Geohot” Hotz, a Sony nunca ligou oficialmente os dois acontecimentos.

Agora que a poeira parece estar assentar na PSN, o CEO da Sony, Howard Stringer, veio agora a público falar sobre o acontecimento, dando a entender que a PSN foi atacada em primeiro lugar devido ao processo judicial contra Geohot.

Em declarações à Reuters, Stringer comentou, “Acreditamos que ficamos em primeiro lugar sujeitos ao ataque porque tentamos proteger as nossas PI(Propriedades intelectuais), o nosso conteúdo – no caso dos videojogos. Estes são meios corporativos, e existem aqueles que não querem que os protejamos, querem que tudo seja gratuito”.

Relembramos que a quando do ataque do grupo Anonymous, os mesmos afirmavam que era devido em grande parte ao processo da Sony contra Geohot, mas a Sony nunca reconheceu a ligação entre os dois acontecimentos.

Geohot tinha então conseguido furar a barreira de segurança da PlayStation 3, o chamado jailbreak que permitia correr software não oficial, e claro, poderia ser usado para correr jogos piratas.

Como noticiamos ontem, o grupo Anonymous promete continuar na sua missão, embora não tenham referido para onde estão as armas apontadas.

http://www.eurogamer.pt

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Leia também

Shawn Layden diz que a ideia de levar os exclusivos do PlayStation para o PC foi dele e não do Jim Ryan

Não foi o atual presidente da Sony, Jim Ryan, que iniciou a política de trazer exclus…